A CONTRIBUIÇÃO IMPOSITIVA

Categoria Geral - 20 de Abril de 2017

Já que a CNA encara de forma simplória uma solução para o “passivo do Funrural”, entendo que um atrazo para com a CNA não será “o fim do mundo”.

Com certeza o não pagamento, (atraso temporário) trará uma “restrição” maior aos que fazem da Representação Classista, uma profissão, um meio de vida…

De nossa parte, haverá espaço para negociar esse débito no momento oportuno.

A explicação para essa atitude já “nasceu pronta”: temos que PROVISIONAR RECURSOS para, se não revertermos o ESTRAGO que a CNA nos causa, quitar o passivo para com o Tesouro.

Atrasar o pagamento dessa “contribuição” compulsória, refletirá momentaneamente, nas finanças da entidade CNA, mas atingirá definitivamente a moral e a legitimidade dos que a transformaram num feudo.

A repercussão de uma inadimplência da classe para com a CNA, hoje uma “entidade fantasma”, dará a exata dimensão de nossa grandeza e da fragilidade moral dos que dela se apossaram.

Depois da faxina, pagamos, para que ela cumpra com seu papel, devidamente alinhada com os legítimos interesses da classe.

Nenhuma manifestação da massa representada repercutirá tanto na sociedade como uma posição firme da classe, no sentido de “negar” a contribuição.
Isso é mais convincente, mais efetivo e mais desastroso para esses dirigentes desastrados.

Sivaldo Caitano.

Outros Artigos