A Sina da Auto-Flagelação

Categoria Geral - 7 de agosto de 2018

Por Dr. Marcos Fava Neves

Faltando 30 dias para o início da safra brasileira 2018/19, que deve ser recorde em termos de plantio (63 milhões de hectares), geração de renda (quase R$ 600 bilhões de reais), exportações (ao redor de US$ 100 bilhões), criação de empregos e desenvolvimento, num país que patina sem crescer e com 13 milhões de desempregados, o Ministério Público e Judiciário simplesmente proíbem o registro, venda e uso de importantes defensivos que não encontram alternativas seguras economicamente para diversas culturas, inviabilizando os números colocados acima. Fora todas as dificuldades externas colocadas à produção brasileira, com este tipo de criação contínua de obstáculos internos como proibições, greves, tabelamentos, me parece uma vontade de auto destruição que dificulta avançarmos como sociedade. Neste caso dos defensivos, é o mesmo que interditar o Maracanã e outros importantes estádios faltando 30 dias para a Copa do Mundo. Que esta decisão possa ser revista imediatamente e soluções de bom senso serem arquitetadas para nosso desenvolvimento econômico, social e ambiental.

Dr. Marcos Fava Neves – Professor Titular da FEARP/Universidade de São Paulo

Outros Artigos