Adubação foliar é uma prática que funciona?

Categoria Geral - 24 de agosto de 2019

A adubação consiste em fornecer nutrientes necessários à planta, que não estão disponíveis de forma natural, para garantir seu melhor desenvolvimento.Na adubação via solo, os adubos químicos e/ou orgânicos são incorporados no solo e a absorção dos nutrientes é por meio das raízes.

Na adubação foliar, os nutrientes são absorvidos pelas partes aéreas, principalmente pela superfície das folhas, por meio da cutícula e dos estômatos, de forma passiva e ativa.

estrutura da folha

Estrutura de uma folha: em destaque a cutícula (parte adaxial) e os estômatos (parte abaxial) /(Fonte: Adaptado de Agrolink)

E como é o processo para que a planta possa absorver os nutrientes por meio da folha?

Nos estômatos, quando a água sai por evapotranspiração, há uma absorção de água nas raízes ao mesmo tempo.

E, como os estômatos estão abertos, ocorre uma pressão negativa para dentro das folhas e é nesse momento que a solução nutritiva, que está em volta, entra para que haja um equilíbrio.

Processo de fluxo de massa da raiz até a folha, chegando aos estômatos(Fonte: Atmosféricos)

Já a passagem pela cutícula se dá por microcanais e rupturas que permitem a passagem das soluções.

Em seguida, penetra o apoplasto, passa pelo plasmalema e assim atinge o simplasto, onde a solução com os nutrientes será transportada para outras células ou órgãos.

Uma via de acesso importante para a absorção dos nutrientes na cutícula são os ectodesmas, como você pode ver na figura abaixo.

adubação foliar

Detalhe da cutícula revestindo a epiderme(Fonte: Valdemar Faquin/Ufla)

Agora que você entendeu como a adubação foliar funciona, vamos partir para a parte prática para que ela seja efetiva!

Adubação foliar: O que você deve considerar para fazer aplicações de fertilizantes

A adubação no solo fornece os principais macronutrientes para a planta de forma bastante eficiente, como nitrogênio, fósforo e potássio (NPK).

Entretanto, durante o ciclo da cultura, pode haver deficiência de certos micronutrientes essenciais, como  boro, cálcio, zinco, manganês, cobalto ou selênio, que podem ser complementados com o nutriente específico.

Os fertilizantes aplicados sobre as folhas são mais rapidamente assimilados pela planta do que via solo. Porém, seu aproveitamento é de curto prazo.

Portanto, os nutrientes podem e, preferencialmente devem, ser utilizados em fases fenológicas em que a planta tem capacidade de responder e aumentar a produtividade.

É importante que você saiba que a adubação foliar é utilizada de forma associada à aplicação via solo, não para substituir, mas para complementar a demanda de nutrientes.

Além disso, nas grandes culturas, existem três situações em que indica-se os nutrientes aplicados por via foliar como:

  • Adubação complementar: Reduz a quantidade de nutriente via solo e aplica nutrientes via foliar no momento em que a planta mais necessita;
  • Adubação suplementar: Vai utilizar nutriente a mais do que necessita com objetivo de aumentar a produtividade, melhorar a resistência da planta a pragas e doenças;
  • Adubação corretiva: Quando são identificadas deficiências nutricionais após análise foliar, as aplicações foliares devem ser feitas para garantir a produtividade.

Cuidados que você deve tomar na aplicação da adubação foliar 

Alguns aspectos externos e internos das plantas devem ser levados em consideração para que você tenha eficiência de aplicação da adubação foliar.

Fatores externos

  1. Molhabilidade da superfície foliar: Para que o nutriente penetre a planta, é necessário que a solução atinja a superfície foliar. Para isso, deve-se ter bastante investimento na tecnologia de aplicação, com bicos específicos, e uso de umectantes e espalhantes.
  2. Temperatura e umidade relativa do ar: As condições mais favoráveis para adubação foliar seriam pela manhã e fim da tarde. Umidade relativa alta e temperaturas amenas favorecem a absorção foliar.
  3. Luz: A maioria das plantas abre seus estômatos na luz e fecha no escuro, por isso, é imprescindível que a aplicação seja realizada com boa intensidade luminosa.
  4. pH da solução: Recomenda-se utilizar o pH para cada nutriente específico. Mas, de uma forma geral, utiliza-se a solução nutritiva com pH entre 5 e 6.

Fatores internos

  1. Superfície foliar: Cutícula mais fina, alto número de estômatos e presença de pilosidade podem aumentar a superfície de contato. Importante que a adubação foliar atinja tanto a parte adaxial quanto a abaxial.
  2. Idade da folha: Absorção dos nutrientes é maior em folhas mais novas, pois nas folhas mais velhas há aumento cuticular. As folhas mais novas também têm atividade metabólica capaz de absorver os nutrientes mais rapidamente.
  3. Estado iônico interno: Plantas com deficiência de algum nutriente tendem a absorver mais rápido a molécula aplicada. Por isso, analisar se realmente há deficiência vai lhe garantir a aplicação correta.

Casos de sucesso com adubação foliar 

Em pastagens

Veja a reportagem abaixo, em que a adubação foliar aumentou a produtividade das pastagens através da aplicação de NPK e adubos foliares com micronutrientes.

adubação foliar

(Fonte: O Presente Rural)

Uso de boro em diversas culturas

Na matéria abaixo você vê como um adubo foliar de boro melhorou o desenvolvimento de diversas plantas.

adubação foliar

(Fonte: Cultivar)

 

Conclusão

O uso de adubação foliar pode ser um grande aliado na sua cultura.

Mas não é uma prática para substituir e sim para complementar a adubação via solo, quando necessário.

Neste artigo, vimos que alguns fatores internos e externos podem comprometer a eficiência dos fertilizantes foliares. Por isso, fique atento!

Também compartilhamos casos de sucesso em diferentes culturas e o que você deve considerar para fazer a aplicação de adubo foliar na sua área! 


Outros Artigos