Bovinos

Categoria Geral - 5 de fevereiro de 2021

Por Aylle Medeiros Matos*

Efeito de ionóforos, compostos antimicrobianos e aditivos naturais na ingestão de alimentos, desempenho animal, características de carcaça e avaliação econômica de bovinos cruzados terminados em confinamento

Dietas de ruminantes terminadas em confinamento são, de modo geral, ricas em concentrados. O milho, que é um ingrediente presente nos concentrados, possui rápida fermentação no rúmen, o que aumenta o risco de acidose.

Para evitar a acidose, uma das estratégias é a inclusão de ionóforo, que é adicionado às dietas de bovinos para melhorar o desempenho animal e a eficiência alimentar. Junto a ele estão os compostos antimicrobianos, compostos derivados da Streptomyces virginiae que inibe o crescimento das bactérias Gram-positivas, perturbando a síntese de proteínas. Estes compostos têm sido usados para ruminantes como promotores de crescimento, que costumam ser evidenciados pelo aumento do desempenho animal e pela melhora na eficiência alimentar. Contudo, existe uma grande preocupação da população quanto à presença de resíduos de antibióticos nos alimentos de origem animal. Nesse contexto, uma tecnologia que também começa a ser utilizada é a inclusão de aditivos naturais na dieta do animal, que proporcionam melhora na saúde e desempenho do rebanho.

Recentemente, foi realizado um trabalho onde avaliou-se a interação de ionóforos, composto antimicrobiano e aditivo natural (Advantage Confinamento – mistura de aditivos naturais da Alltech) sobre o desempenho animal, eficiência alimentar e qualidade da carne de bovinos terminados em confinamento com dieta de alto grão. Este trabalho, em específico, foi realizado a fim de avaliar a influência de ionóforos, composto antimicrobiano e aditivo natural sobre o desempenho animal, eficiência alimentar, características de carcaça e avaliação econômica de bovinos mestiços terminados em confinamento.

O trabalho avaliou o uso destas substâncias em 36 bovinos com 24 meses de idade e com 385,5 kg de peso corporal inicial. Os animais tiveram uma dieta basal de 850 g/kg de concentrado e 150 g/kg de silagem de milho oferecida durante 84 dias. Para fins de análise, foram distribuídas quatro dietas para estes animais, como podemos ver a seguir:

Controle: sem adição de aditivos;

Somente ionóforo: inclusão de 30 mg de monensina/kg de matéria seca ingerida (MSI);

Ionóforo e composto antimicrobiano: inclusão de 30 mg de ionóforo + 30 mg de composto antimicrobiano/kg/MSI;

Ionóforo + aditivo natural: inclusão de 30 mg de ionóforo/kg/MSI + 3,0g de aditivo natural/100 kg de peso corporal.

Resultados no peso corporal e conversão alimentar

Ainda que a ingestão de matéria seca e outros nutrientes tenham sido semelhantes para os bovinos das quatro dietas, o aumento de peso corporal final e o ganho médio diário foram maiores para os bovinos da dieta com ionóforo e composto antimicrobiano (558,7 kg e 2,02 kg/dia) e ionóforo e aditivo natural (554,6 kg e 2,02 kg/dia), intermediário para os bovinos da dieta apenas com ionóforo (529,3 kg e 1,72 kg/dia) e menor para os bovinos da dieta sem aditivos (514,6 kg e 1,57 kg/dia).

A conversão alimentar, os pesos e rendimentos das carcaças foram melhores para os bovinos alimentados com as dietas com ionóforo e composto antimicrobiano e também nos testes com ionóforo e aditivo natural.

Resultados em lucratividade

Apesar do custo de alimentação ter sido superior nas dietas com ionóforo e aditivo natural, a margem aparente de lucro no uso desses foi também a maior, o que indica maior retorno financeiro ao produtor.

O retorno financeiro de uma atividade é mensurado por diversos parâmetros. No presente estudo, fizemos uma comparação do retorno financeiro em função das diferenças em reais e em percentagem entre as diferentes dietas.

O retorno financeiro foi maior para as dietas com adição dos aditivos. A adição de ionóforo + aditivo natural proporcionou uma margem de lucro de R$ 256,93, em comparação com a dieta controle; de R$ 201,22 em comparação à dieta somente com ionóforo e R$ 103,60 em comparação à dieta com ionóforo + composto antimicrobiano. Deste modo, o lucro da dieta ionóforo + aditivo natural foi de 34,7; 25,6 e 11,6% maior em comparação com as dietas controle, apenas ionóforo e ionóforo + composto antimicrobiano. As diferenças financeiras do uso da dieta ionóforo + composto antimicrobiano em comparação com as dietas controle e apenas com ionóforo foram de R$ 153,14 e R$ 97,12, respectivamente. A menor diferença financeira foi observada para a dieta com apenas ionóforo em comparação com a dieta controle, de R$ 56,00 (+7,6%). A inclusão somente do ionóforo na dieta de bovinos terminados em confinamento aumentou o retorno financeiro da atividade. Todavia, este retorno foi maior quando houve a inclusão de um complexo com um ionóforo e um composto antimicrobiano. Ainda, este retorno financeiro foi maior com a combinação do ionóforo e do aditivo natural.

Conclusão

A inclusão de ionóforo, composto microbiano e aditivo natural ou uma combinação de dois compostos (ionóforo + composto antimicrobiano ou ionóforo + aditivo natural) aumentou o desempenho animal e melhorou a eficiência alimentar. Embora as dietas suplementadas com ionóforo + composto antimicrobiano ou ionóforo + aditivo natural proporcionam desempenhos similares, o retorno financeiro foi bem superior (+11,35%) para a combinação de um ionóforo e o aditivo natural.

*Aylle Medeiros Matos é zootecnista, doutoranda em Zootecnia pela Universidade Estadual de Maringá (UEM)


Outros Artigos