Nematoide de cisto: Como afeta sua lavoura e o que fazer para se livrar dele

Categoria Geral - 25 de agosto de 2019

Nematoides não são um tema fácil quando se fala de lavouras.

Sua presença pode causar perdas significativas na produção de soja e e, além do prejuízo direto, eles também contribuem de diferentes modos para outras doenças.

O nematoide de cisto, por exemplo, é uma das maiores dores de cabeça na lavoura de soja.

E como identificar sua presença na área? Qual a forma de controle ideal?

 

Nematoide de cisto: Heterodera glycine 

O nematoide de cisto (Heterodera glycine) é um endoparasita com ciclo de vida que dura em torno de 21 a 23 dias, com 4 fases ou ecdises. Na segunda fase do ciclo juvenil, ele realiza infestação nas raízes.

São as fêmeas que completam o ciclo e permanecem dentro da raiz, após fertilizadas, produzindo e armazenando ovos no interior de seu corpo que, após a sua morte, se altera, se tornando rígido e quimicamente adquirindo coloração marrom.

Essa estrutura possui cerca de 500 ovos que, mesmo sem a presença de hospedeiro, podem permanecer viáveis por até 7 anos.

nematoide de cisto

(Fonte: Nematoide Brasil)

O nematoide Heterodera glycine ou nematoide de cisto (NCS) possui de três a seis gerações por ano.

As fêmeas têm de 0,4 mm a 0,8 mm de comprimento, com formato de limão, ligeiramente alongado. Já os machos possuem de 0,6 mm a 1,6 mm de comprimento, vermiformes com cauda arredondada.

As condições ótimas para seu desenvolvimento são temperaturas entre 23℃ e 28℃, cessando com temperaturas inferiores a 14℃ ou superiores a 34℃. Condições nada difíceis em nosso país tropical, não é mesmo?

Ocorrência e sintomas do nematoide de cisto

O nematoide de cisto foi identificado pela primeira vez na região do Cerrado, nas lavouras de soja, na safra de 1991/92. Hoje, estima-se que esteja presente em milhões de hectares no Brasil.

É característico desse nematoide que os sintomas apareçam em reboleiras, com plantas de baixo crescimento, com clorose, nanismo, raquíticas e com amarelamento.

O amarelecimento causado por NCS ocorre na época de florescimento da cultura da soja.

Ele se diferencia do ocorrido por deficiências nutricionais, como de ferro, pois essas aparecem mais cedo no ciclo da cultura.

Mas o diagnóstico definitivo sempre exige observação do sistema radicular, que fica reduzido e infestado, apresentando minúsculas fêmeas brancas do nematoide.

nematoide de cisto

Sistema de raízes fica reduzido e infestado por minúsculas fêmeas do nematoide de cisto da soja (A); fêmeas maduras e cistos (B); cisto rompido com ovos (C); /(Fonte: Luiz Ferraz e Derek Brown)

Identificação do nematoide de cisto

Se tem uma coisa que não se pode deixar passar para identificar nematoides é a análise de solo. Ela é a base para identificar qual espécie está atacando a lavoura.

O período da entressafra é um bom momento para realizar essa análise. Você também pode fazer a análise das raízes de plantas daninhas que, na maioria das vezes, são hospedeiras dos nematoides.

A amostra habitual da análise de solo da sua lavoura pode ser utilizada para a análise de nematoides. Aqui no blog nós já falamos sobre isso na matéria: “Tudo o que você precisa saber para acertar na escolha do laboratório de análise de solo.”

Disseminação

A movimentação de nematoides no solo é bastante limitada. Com o manejo de muitas áreas, somos responsáveis por boa parte da disseminação dos nematoides entre elas.

Um cuidado muito importante para evitar a disseminação é a limpeza do maquinário.

Assim, evitamos a disseminação de nematoides. Além de que, iniciar pelas áreas limpas ou mais sadias, sempre é a melhor opção.

Manejo do nematoide de cisto

Uma vez presente na região, é muito difícil a eliminação da população de nematoides. Por isso, o  foco aqui é quebrar o ciclo dele.

Cultural

Rotação de culturas é vantajosa em vários aspectos para a sua lavoura, desde que sejam espécies não hospedeiras do nematoide.

Nesse sentido, as crotalárias são uma das melhores opções no controle dos nematoides.

Suas raízes exercem a função de armadilha, permitindo a penetração de nematoides jovens que não conseguirão se desenvolver até a fase adulta na planta hospedada.

Aqui no blog falamos recentemente sobre “Como a crotalária controla nematoides em sua lavoura”.

Além disso, elas contribuem como massa verde e também na fixação biológica de nitrogênio atmosférico. Isso ajuda no aumento do fornecimento de carbono fotossintetizado para fungos e bactérias.

Outras plantas que podem ser utilizadas são a braquiária e o milheto, com foco na produção de matéria orgânica, favorecendo outros micro-organismos com hábitos alimentares diferentes, diminuindo, assim, os fitonematoides.

nematoide de cisto

Sintomas do nematoide de cisto aparecem em reboleiras, com amarelamento. Em muitos casos, plantas acabam morrendo / (Fonte: Revista Globo Rural)

Nematicidas biológicos e químicos

Os produtos biológicos têm apresentado ótimos resultados a campo, atuando por competição ou predação dos nematoides.

Eles ainda permanecem por mais tempo no ambiente e contribuem para toda a vida biológica do agrossistema.

Essa modificação da rizosfera favorece a alteração da suscetibilidade do hospedeiro.

Os principais agentes biológicos utilizados são:

  • Pochonia chlamydosporia
  • Pausteria nishizawae
  • Paecilomyces lilacinus

O tratamento pode se dar de forma direta ao solo e também na forma de tratamento de sementes para combate e controle preventivo.

No tratamento de sementes, o uso de produtos biológicos e até mesmo químicos para controle de nematoides tem intuito de promover o desenvolvimento radicular inicial, permitindo que a planta se estabeleça.

Cultivares resistentes

Existem no mercado algumas opções de cultivares resistentes ao NCS. A maioria é resistente às raças 1 e 3. Além disso, é muito importante você avaliar se essa cultivar é precoce ou tardia para que se encaixe no seu planejamento.

A Embrapa, que tem o maior banco de germoplasma de soja tropical do mundo, lançou recentemente a cultivar BRS 7581RR. Ela é resistente a quatro raças: 1, 3, 5 e 14 do nematoide do cisto da soja (NCS). É uma cultivar RR precoce de ciclo médio de 85 a 117 dias.

Os silicatos também têm se apresentando como uma alternativa, atuando como indutor químico de resistência.


Outros Artigos