Cebola: Importação reduz frente a 2016, mas prejudica mercado

A importação total de cebolas em 2017, no resultado parcial (de janeiro a maio), está inferior ao mesmo período do ano passado. O volume importado, até o momento, é de cerca de 40 mil toneladas, 75% menor que em 2016, segundo a Secex (Secretaria de Comércio Exterior) – quando foram importadas 163,5 mil toneladas.

Geralmente, a Argentina abastece o Brasil nesta época do ano, já que o Sul costuma encerrar sua safra em abril. Na temporada anterior (2015/16), porém, houve quebra de safra no Sul, resultando em mais importações do produto argentino. Além disso, foi necessária a entrada de cebolas da Europa, uma vez que somente o volume argentino não seria suficiente para abastecer o mercado nacional.

Já em 2017, o cenário foi o oposto: o Sul teve boa produção e ofertou seus bulbos até fim de maio, não necessitando de grandes importações. Mesmo assim, algumas cebolas argentinas e europeias entraram no País. A vinda desta segunda, inclusive, se deu pelo fato de o continente estar no fim da safra e de o Brasil se mostrar como uma oportunidade para o escoamento da produção. Com isso, as cebolas chegam a preços muito baixos e acabam dificultando uma valorização dos bulbos nacionais.

Segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea, a entrada do produto deve reduzir nas próximas semanas, visto que o volume nacional tende a aumentar a partir de junho.

Fonte: Cepea/Hortifruti