Cesta de produtos e 16 culturas têm bônus do PGPAF em junho

Agricultores familiares de 19 estados, cultivadores de produtos que tiveram queda de preço, terão desconto no pagamento do crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar neste mês de junho. Em portaria publicada nesta sexta-feira (9), no Diário Oficial da União, a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), por meio do Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF), apresenta os produtos e os estados que poderão acessar os descontos.

São 16 produtos ao todo: arroz em casca natural (para produtores de Alagoas, Mato Grosso e Rio de Janeiro), babaçu (para produtores do Pará, Tocantins, Ceará, Maranhão, Piauí), batata (para produtores do Rio Grande do Sul e Santa Catarina), cacau (para produtores do Amazonas, Pará e Rondônia), cana-de-açúcar (para produtores do Espírito Santo), cará/inhame (para produtores do Espírito Santo), cebola (para produtores de Santa Catarina), feijão caupi (para produtores do Ceará, Maranhão e Mato Grosso), laranja (para produtores do Rio Grande do Sul), manga (para produtores de São Paulo), maracujá (para produtores do Espírito Santo e Santa Catarina), milho (para produtores da Bahia e Piauí), sorgo (para produtores de Goiás, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais), tangerina (para produtores da Bahia), trigo (para produtores de Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina) e triticale (para produtores do Paraná e Santa Catarina). A cesta de produtos (bônus médio) tem descontos em dois estados, Bahia e Piauí.

Os bônus variam e podem chegar a mais de 50%, como no caso dos cultivadores de babaçu (amêndoa) do estado do Pará, que terão 55,05% de bônus de garantia de preço. O desconto é calculado mensalmente pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e divulgado pela Sead.

PGPAF

O programa dá às famílias agricultoras que acessam o Pronaf Custeio ou o Pronaf Investimento desconto no pagamento do financiamento em caso de baixa de preços no mercado. O desconto é correspondente à diferença entre o preço de mercado e o preço de garantia do produto.

Toda vez que o preço médio mensal de mercado apresentar-se abaixo do preço de garantia da safra, será calculado um bônus em percentual equivalente a essa diferença de preços. Este bônus será aplicado pelo banco no saldo devedor dos financiamentos de custeio e de investimento do Pronaf efetivados para os produtos do PGPAF, garantindo que os agricultores familiares tenham assegurado, no mínimo, o custo de produção para o pagamento do financiamento.

Fonte:  PORTAL DO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO