China pode se beneficiar comprando soja dos EUA

Mesmo com as tarifas de 25% impostas sobre a soja norte-americana, a China pode se beneficiar comprando o produto dos Estados Unidos. De acordo com o analista Bryan Doherty, do portal Agriculture, o preço da soja brasileira é 24% maior do que a estadunidense, o que faz com que os orientais repensem a compra do produto do Brasil.

“A China poderia atender rapidamente às suas necessidades de demanda em um mercado crescente, com a compra de commodities dos Estados Unidos com preços mais baixos, em particular a soja”, diz.

Segundo Doherty, uma possível negociação entre os dois países poderia beneficiar também os Estados Unidos. Para ele, enquanto a China conseguiria atender a sua necessidade pela oleaginosa e seus derivados, os EUA conseguiriam liberar boa parte da soja mantida em estoques, aumentando assim seus lucros.

“Por um lado, o presidente Trump pode conseguir o que quer, e a China comprará mais produtos dos EUA ao dedicar mais dólares aos produtos norte-americanos. Por outro lado, os preços da soja caíram mais de US $ 2,00 por bushel. A China poderia atender rapidamente às suas necessidades de demanda com a compra de commodities dos Estados Unidos com preços mais baixos, em particular a soja”, comenta.

O analista também alerta os produtores dos EUA para que estejam preparados para uma possível alta nos preços. O que seria possível se a soja norte-americana começasse a ser vendida inesperadamente para o mercado Chinês, principalmente porque os agricultores locais mantiveram uma postura defensiva até agora, segurando ao máximo o seu produto nos armazéns.

“A soja é notória por se mover rapidamente. Se você esperar reunir informações suficientes, a oportunidade pode estar bem atrás de você antes que você possa agir. Planeje agora e esteja preparado”, finaliza.

Fonte: Agrolink Por Leonardo Gottems

Crédito: Domínio Público / Pixabay