Comitiva catarinense acompanha colheita de grãos no Paraguai

A fim de conhecer a zona de produção de grãos na região norte do Paraguai, representantes da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca e da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina (Fecoagro) cumprem roteiro de visitas àquele país a partir desta terça-feira (30). A comitiva formada pelo secretário Moacir Sopelsa, o presidente e o vice-presidente da Fecoagro, Claudio Post e João Carlos Di Domenico, o diretor executivo da Fecoagro, Ivan Ramos e o representante comercial dos fertilizantes Fecoagro no Paraguai, Remoaldo Araldi, visitará a região de Sta Fé, Mabaracayu, San Alberto e Nueva Esperanza e Procópio, principal região produtora de grãos no Paraguai.

 O roteiro conta com visitas à unidade da Cooperativa Lar, parceira da Fecoagro na comercialização de fertilizantes, e ao Porto Internacional de Santa Helena, além da passagem por lavouras de milho com colheita prevista para início em julho. No Porto, a missão catarinense poderá conhecer, in loco, a logística e o transbordo de fertilizantes catarinenses nas aduanas internacionais.

A Cooperativa Lar é responsável por comercializar fertilizantes produzidos em Santa Catarina no mercado paraguaio. Só em 2016, a Fecoagro exportou 20 mil toneladas de fertilizantes para aquele país. As expectativas são de que este ano, as exportações cheguem a 30 mil toneladas.

Em contrapartida, a Lar é uma importante fornecedora de grãos para as cooperativas catarinenses. No ano passado, quatro cooperativas de Santa Catarina (Cooperitaipu, Cooperalfa, Cooperauriverde e Aurora) importaram 88,7 mil toneladas de milho e trigo do Paraguai, num investimento de US$ 15,8 milhões.

Segundo o secretário da Agricultura Moacir Sopelsa, a viagem ao Paraguai será uma oportunidade para conhecer a zona de produção de milho e trigo, que muitas vezes é importado pelos produtores e cooperativas catarinenses.

Milho em Santa Catarina

Santa Catarina espera colher 3,2 milhões de toneladas de milho nesta safra. Com 380,6 mil hectares plantados, a estimativa do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Cepa/Epagri) é que a produtividade chegue a uma média de 141,6 sacas de milho por hectare. Maior produtor nacional de suínos e segundo maior produtor de aves, o estado é também o maior comprador de milho do país. Só o setor produtivo de carnes em Santa Catarina consome seis milhões de toneladas de milho/ano, ou seja, o dobro do que o estado produz.

Fonte: SECRETARIA DA AGRICULTURA E DA PESCA DE SC