Comitiva “Elas no Campo” é a campeã do desfile de abertura da Expo Rio Verde

Mulheres demonstraram a força feminina no campo, chamando a atenção para os diversos papéis que elas assumem no agronegócio

A edição deste ano do desfile de abertura da Expo Rio Verde, tradicional exposição agropecuária da cidade de Rio Verde (GO), realizado no domingo teve um toque especial e feminino, protagonizado pela Comitiva “Elas no Campo”, que ganhou o primeiro lugar. Com 92 integrantes provenientes de diversas regiões do Brasil, a Comitiva levou para as ruas de Rio Verde os múltiplos papeis que a mulher assume no campo, colorindo a cidade de cor de rosa.

O carro de abertura do desfile foi criado como réplica da chimbica (carroça antiga) ornamentada, utilizada por mulheres no passado. Em seguida, se apresentaram as mulheres a cavalo, com laços cor de rosa, e vaqueiras que lidam com o gado, com a agricultura, que administram propriedades e até fazem churrasco, no caminhão com As BrAseirAs.

No entanto, a maior atração do desfile foi um trator cor de rosa fornecido pela John Deere especialmente para a ocasião, representando a força da mulher do campo. A iniciativa foi promovida pelo GPB Rosa, grupo de mulheres da pecuária que representam mais de 110 propriedades rurais em 10 estados brasileiros.

“Mulheres do agronegócio mostrando sua força no campo: este foi o objetivo do desfile em Rio Verde. Quisemos mostrar como era a mulher 50 anos atrás no campo e hoje em dia. Ela faz churrasco, monta a cavalo, lida com o gado, opera maquinário do plantio até a colheita, gerencia a propriedade, e ao mesmo tempo, é mãe, esposa, dona de casa, sem perder o carinho, o cuidado com o entorno que é uma característica intrinsica nossa. A ideia é mostrar que lugar de mulher é no campo e onde ela quiser”, ressalta Carolina Barretto, que coordena a comunicação do GPB Rosa.

A conquista do primeiro lugar no desfile foi comemorada pela coordenadora do grupo “Elas no Campo”, a pecuarista Verena Bannwart. “Encheu o nosso coração de alegria ver mulheres de todas as faixas etárias nos assistindo. É preciso mostrar a nossa força e presença no campo, não só as proprietárias de fazendas, mas também todo o trabalho das veterinárias, agrônomas, zootecnistas, tratadoras e trabalhadoras. A mulher pode, sim, cuidar do campo, dirigir trator e cuidar do seu gado. Ela tem essa capacidade e só vem somar ao trabalho dos homens, com pequenos detalhes, porém, que fazem a diferença tanto na produção de carne quanto de grãos: onde a mulher estiver produzindo, plantando ou criando, ela vai sempre pensar em alimentar e cuidar  do mundo”, declara.

GPB Rosa: o grupo das mulheres da pecuária brasileira

Mulheres de diversos estados brasileiros, com propriedades em diferentes sistemas produtivos, grande variedade de raças bovinas, perfis diferenciados e que chegaram à atividade pelos mais diversos caminhos. É esse o mix que compõe o GPB Rosa, grupo de mulheres derivado do GPB – Grupo Pecuária Brasil, que reúne pecuaristas com um objetivo comum: trocar experiências e fortalecer a atividade pecuária liderada por mulheres.

Formado há três anos, o GPB Rosa conta atualmente com 73 participantes ativas, que representam 118 propriedades de 10 estados, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Maranhão, Rio Grande do Sul, Pará e Tocantins.

A troca de conhecimentos no GPB Rosa é marcada também pela diversão, pelo estilo descontraído e pela amizade criada pelas mulheres, a maior parte delas que realmente vive na “roça” e na “lida” diária da pecuária. São empresárias, mães, filhas, esposas e líderes que vão atrás de conhecimento e tecnologia para continuar a fazer a diferença na pecuária brasileira.

Fonte/crédito: Attuale Comunicação