CRISPR imuniza porcos contra doença mortal

A técnica de edição de genes CRISPR pode ser utilizada na imunização de porcos contra uma doença mortal chamada Síndrome Respiratória e Reprodutiva de Suínos, ou PRRS, segundo a Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Estadual de Iowa. Nesse cenário, é possível afirmar que os porcos estão sofrendo com uma série de doenças virais que retardam o crescimento, causam doenças e restringem drasticamente a reprodução.

“Os sinais clínicos primários entre os porcos jovens são febres, depressão, letargia, baixa estatura devido a doença sistêmica e pneumonia. Espirros, febre e letargia são seguidos por dispnéia expiratória e baixa estatura…. A mortalidade pós-desmame é frequentemente acentuadamente aumentada, especialmente com cepas mais virulentas e a ocorrência de infecções simultâneas e secundárias sempre presentes”, diz a universidade.

Essa doença aumenta os custos de produção de suínos em aproximadamente US$ 580 milhões anuais, de acordo com uma estimativa de 2017, quando os criadores tentam controlar a doença ou evitá-la com vacinação e outras medidas. Enquanto essas práticas ajudam a manter a PRRS sob controle, Christine Burkard, professora assistente de proteção e prevenção imunidade do Instituto Roslin, na Escócia, diz que sua equipe desenvolveu uma solução para essa preocupação premente de bem-estar animal

Usando a edição do gene CRISPR-Cas9, os pesquisadores conseguiram deletar com sucesso parte de um gene do genoma do porco, mudando a estrutura de uma proteína correspondente chamada CD163 para que o vírus não possa se ligar a ele. Os animais editados por genes são resistentes à PRRS, mostrando “sem sinais de infecção e sem viremia ou resposta de anticorpos indicativa de uma infecção produtiva”, Burkard e seus colegas relataram em um estudo de 2018.

Fonte: Agrolink Por Leonardo Gottems

Crédito: Portal Agronegócio