InfoCafé: Cotações

Infocafé de 07/02/2023
 
    

MERCADO INTERNO
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$1.145,00 R$1.110,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$1.145,00 R$1.110,00 Março/2023 177,05 +1,35
Alta Paulista/Paranaense R$1.125,00 R$1.100,00 Maio/2023 177,35 +1,55
Cerrado R$1.145,00 R$1.110,00 Julho/2023 177,35 +1,80
Bahiano R$1.125,00 R$1.100,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
FUT 2023 6/7 15% cat Set R$1.075,00 R$1.025,00 Março/2023 237,90 +2,00
FUT 2024 6/7 15% cat Set R$1.075,00 R$1.025,00 Setembro/2023 217,90 +2,25
Dólar Comercial: R$5,1991      

O mercado operou em alta na terça-feira (07). Em N.Y. a posição março oscilou entre a mínima de -2,75 pontos e a máxima de +2,80pts , fechando em +1,35pts.

 O Dólar subiu 0,51%, cotada a R$ 5,1991.  No dia anterior, o dólar teve alta de 0,49% e fechou vendido a R$ 5,1726, mas chegou a bater R$ 5,21 no decorrer do pregão. Com o resultado de hoje, acumula alta de 2,48% no mês e 1,00% na semana. No ano, no entanto, ainda tem perda de 1,49%.  Já nos Estados Unidos, investidores ficaram de olho no discurso do presidente do Fed, Jerome Powell, após dados fortes do mercado de trabalho norte-americano mostrarem que a atividade econômica americana segue acelerada.  Na semana passada, o Fed elevou na semana passada a meta de taxa de juros em 0,25 ponto percentual, uma alta menor que as anteriores. Mas o último relatório de empregos nos Estados Unidos, com resultados fortes e acima do esperado, renovou as preocupações sobre o patamar de juros necessários para trazer a inflação do país de volta para a meta. Fonte: G1.

 Pela primeira vez nos últimos meses, a produção de café arábica apresentou estabilidade, de acordo com dados divulgados pela Federação Nacional dos Cafeicultores (FNC). No mês de janeiro, a produção no país vizinho alcançou 868 mil sacas, mesmo volume registrado no ano passado. A FNC chamou atenção ainda para os problemas ocasionados pelo La Niña e também para queda de 10% nas exportações nos últimos 12 meses. Segundo maior produtor de arábica do mundo, a Colômbia há três anos sente os impactos do excesso de chuva nas lavouras, o que segundo a FNC justifica a baixa produtividade no último ano.

O relatório mais recente indica que as condições do tempo começaram a melhorar, mas que impactaram a produção durante o período de floração e formação dos frutos. Nos últimos 12 meses (fevereiro de 2022 a janeiro de 2023), a produção ficou perto de 11,1 milhões sacas, 10% a menos em relação às quase 12,4 milhões de sacas no ciclo anterior. No ano cafeeiro, entre outubro de 2022 e janeiro de 2023, a produção no país vizinho foi de 3,8 milhões de sacas. O volume representa 14% a menos do que relação ao período anterior, que foi de quase 4,4 milhões de sacas. Acompanhe a matéria completa: encurtador.com.br/norES – Fonte: Noticias agrícolas

Fonte: Mellão Martini