Interface entre micro-organismos e solo

Por Murilo Peres De Castro Barros

A agricultura mundial está se tornando cada vez mais dinâmica, moderna, com altos investimentos e um alto nível tecnológico, onde estamos entrando em uma nova era, a chamada agricultura 4.0, porém, não adianta investirmos em maquinários sofisticados, sistemas operacionais avançados, computadorizados e cada vez mais modernos, calcário e adubo, defensivos caríssimos e não nos preocuparmos com o equilíbrio biológico do solo.

Os micro-organismos exercem um papel de fundamental importância no solo; sem esses seres minúsculos, muitos processos biogeoquímicos não ocorreriam; outros demandaria um tempo extremamente superior para acontecerem.

Dentre esses micro-organismos podemos citar; fungos, bactérias, actinomicetos, arqueais, protozoários, que fazem parte da microfauna do solo, cada um tendo sua função e importância.

Eles são responsáveis por processos como:  Decomposição de restos culturais, materiais em decomposição, solubilização do fosfato, síntese de compostos orgânicos, como agentes agregadores das partículas do solo, etc.

O solo nos pede socorro quando está em desequilíbrio biológico, e isso é evidente com o aumento das pragas (coró, percevejo- castanho, nematoides) e    doenças (Fusarium, Rizoctônia, Mofo-Branco, Macrophomina), de solo.

É comprovada a necessidade do calcário para que possamos disponibilizar alguns nutrientes benéficos para as plantas como fosforo, nitrogênio, enxofre, boro e indisponibilizar outros que não são benéficos como o alumínio e o hidrogênio, porém a planta consegue  assimilar o carbono sem a ajuda de nenhum outro elemento através da fotossíntese e liberar esse elemento nas raízes, fazendo simbiose com alguns micro-organismos e se tudo está em desequilíbrio, os patógenos que são oportunistas iram prevalecer e causar danos a planta por que todos os seres que  habitam o solo estão atrás do carbono que é a sua fonte de alimento.

Louis Pasteur dizia: O papel desses seres infinitamente pequenos é infinitamente maior do que podemos imaginar

Murilo Peres De Castro Barros é engenheiro agrônomo