Macri confirma baixa nas retenciones  

A decisão foi tomada após recomendações do FMI sobre a redução de impostos virem a público

O presidente da Argentina, Maurício Macri, confirmou que o programa de redução sobre o imposto de exportação irá continuar. Em sua declaração, que ocorreu em uma conferência com a imprensa em Olivos, Macri chamou as retenciones de “imposto pouco inteligente” e disse que elas não geram futuro.

A decisão foi tomada depois que uma série de recomendações do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre a redução do imposto vieram a público. O presidente argentino criticou o governo anterior e disse que a ideia da sua gestão é retirar a aplicação das retenciones definitivamente, o que já aconteceu no caso do milho e do trigo.

“O governo anterior praticou uma política equivocada e inédita, porque ninguém no mundo cobra impostos a todos que exportam. O único país que castigou exportações foi a Argentina e, por isso, não se gerou trabalho privado e se desintegrou a exportação. Pedimos a todos os argentinos que podem exportar, que façam isso”, comenta.

Ele ainda garantiu que o único imposto que todos os argentinos terão que pagar é o imposto de renda, que ajudará o país a equilibrar a conta entre os mais ricos e os mais pobres.  Para ele, a única forma de conseguir desenvolver o comércio da argentina com o exterior é liberando as exportações sem cobranças adicionais por isso.

“O jeito é apostar que o Norte forneça lítio ao mundo, o que gera milhares e milhares de empregos, e que isso aconteça em todos os cantos do país, podemos gerar produtos de qualidade. Há um futuro gigantesco desenvolvendo as economias regionais destinadas a exportar para o mundo”, finaliza.

Fonte: Agrolink Por Leonardo Gottens

Crédito: Domínio Público/Pixabay