Frango: até nominalmente, o menor valor em 5 anos

Avicultura - 16 de Abril de 2018

Quase à exaustão, vem sendo ressaltado que o frango, vivo ou abatido, vem registrando no corrente exercício o menor valor real dos últimos doze anos. Vale acrescentar, porém, que, nem mesmo nominalmente, o frango vai bem das pernas. Pois seu preço na primeira quinzena de abril corrente – apenas um referencial, diga-se de passagem, pois os negócios por valores inferiores continuam se multiplicando – correspondeu ao menor valor nominal para este período nos últimos cinco anos.

Nos quatro anos anteriores, o melhor resultado nominal do frango vivo no mês de abril foi registrado em 2016: R$2,68/kg. Justificável, pois foi nesse exercício que o setor enfrentou o maior custo de produção de todos os tempos.

Notar, porém, que, deflacionado, o valor registrado em abril de 2016 ainda ficou aquém do alcançado em abril de 2014, R$2,99/kg. O que sugere que, mesmo convivendo com altíssimos custos, o setor não conseguiu aplicar ao produto um preço compatível. Mas a situação de 2018 é muitíssimo pior. Porque a produção voltou a conviver com uma elevação de custo que, embora menos aguda que a de 2016 (faltaram matérias-primas), atinge o produtor em seu mais crítico e controverso momento de mercado.

Demonstrando, em maio de 2016, auge da crise no abastecimento do milho (R$53,86/saca), uma tonelada de frango vivo adquiria apenas 2,785 toneladas do grão – aparentemente o menor volume de toda a história da avicultura de corte brasileira. Na ocasião, esse volume foi 43% menor que o adquirível um ano antes. Pois bem: considerado o preço mais corrente no mercado pago pelo frango vivo (R$2,00/kg) adquire-se neste instante, com uma tonelada do produto, apenas 2,759 toneladas do grão – ou seja, volume ainda inferior ao do pico da crise de 2016 e, em comparação a abril do ano passado, 44% menos. Isto, dito de outra forma, também significa que, para adquirir uma tonelada de milho, o avicultor necessita, hoje, de um volume de frangos quase 80% maior que o de um ano atrás.

Por: AVISITE

Outras Notícias