NFL jerseys and apparel wholesale
Análise de solo: por que deve ser feita? - Sucesso no CampoSucesso no Campo

Análise de solo: por que deve ser feita?

Agricultura - 23 de janeiro de 2021

O processo de análise de solo pode gerar muitas dúvidas entre os produtores rurais, mesmo se tratando de um procedimento importante e vantajoso para a agricultura.

O Brasil é um país de destaque quando o assunto é a produção agrícola. O número de exportações cresce continuamente, mas para acompanhar esse crescimento, é necessário aumentar a produtividade e expandir as lavouras.

Além disso, a sustentabilidade deve estar presente nessa prática econômica, o que levanta muitos questionamentos acerca da expansão das áreas de cultivo.

Por conta disso, nem sempre é possível investir nessa opção. Com relação ao aumento da produtividade, é necessário conhecer bem o solo que será trabalhado, para que assim possam identificar suas condições e deficiências.

Em outras palavras, é importante que os produtores estejam cientes do nível de fertilidade e o quanto o solo está bem nutrido antes de querer investir no plantio.

A análise de solo é a resposta para esses questionamentos e tem sido muito utilizado pelos produtores rurais. Dessa forma, eles conseguem tomar as melhores decisões, optando por melhores técnicas que trazem bons resultados.

Pensando nisso, neste artigo vamos explicar o que é análise de solo, sua importância para o agronegócio, seus tipos, quem são os profissionais que realizam esse procedimento e como a coleta e análise são feitas. Acompanhe!

O que é análise do solo?

A análise de solo é um procedimento químico que tem como objetivo verificar os nutrientes presentes no solo, bem como sua disponibilidade.

Com isso, os produtores reconhecem as propriedades químicas, físicas e biológicas essenciais para uma boa colheita.

Apenas com a observação do solo não é possível identificar suas características. Para fazer perfuração de poço ou plantar qualquer espécie para cultivo, é necessário realizar determinados procedimentos.

São eles que indicam e previnem problemas como a falta de nutrição, propagação de pragas e até doenças nas plantações.

Para dimensionar melhor a importância dessa análise, podemos nos basear na Lei do Mínimo, que determina que o bom desenvolvimento pode ficar limitado, a depender de nutrientes presentes ou não.

O objetivo dessa prática é identificar a capacidade do solo em garantir os nutrientes que as plantas precisam, antes mesmo de seu plantio.

Trata-se de um método econômico, que mostra a fertilidade do espaço para plantio e como as correções devem ser feitas, como no caso do uso de fertilizantes.

Por meio de uma análise de solo completa, é possível aumentar a produtividade e, com isso, intensificar os lucros obtidos com o cultivo.

Além disso, é possível identificar as mudanças quanto à fertilidade, o que aumenta a lucratividade desse tipo de exploração.

As plantações também se tornam mais resistentes, exigindo menos uso de agrotóxicos, aumentando a qualidade de vida e diminuindo os impactos ambientais causados por inseticidas, fungicidas e herbicidas.

Importância da análise para o agronegócio

A definição de análise de solo por si só já explica a importância dessa técnica para o agronegócio. De qualquer forma, é importante destacar que, por meio dela, é possível indicar o fornecimento de nutrientes do solo.

Isso pode servir como base para o uso de elementos, como os fertilizantes e o calcário. A qualificação de operação desse procedimento ajuda a desenvolver planos de manejo de nutrientes, principalmente combinados com informações da produção.

Exemplo disso é o histórico de cultivo, assim como a identificação de mapas de produtividade e de inspeção do solo.

Todo o monitoramento acerca da fertilidade e tendências do solo é feito em longo prazo. Isso permite ajustar os manejos para atender às metas.

Outra vantagem é a possibilidade de gerenciar riscos, ou seja, o produtor pode identificar onde as respostas aos nutrientes podem ser maiores.

Além disso, o técnico agrícola ou o engenheiro agrônomo são os profissionais mais indicados para fazer uma boa análise de solo.

Assim como você escolhe uma boa válvula reguladora de pressão de agua para irrigar sua plantação, precisa escolher com cuidado quem vai realizar esse procedimento na sua plantação.

Outros profissionais também podem fazer esse trabalho, como os zootecnistas e veterinários, desde que conheçam bem as fazendas que dão assistência. Também é possível contar com as boas orientações dos extensionistas.

Contudo, para ter acesso a esses benefícios é necessário escolher o tipo certo de análise de solo. Veja mais a seguir.

Tipos de análise de solo

O setor de agronegócio conta com diferentes recursos, como análise foliar e diversos tipos de análise de solo. Os três principais são:

1 – Análise química completa

Essa análise tem como foco os macronutrientes e os micronutrientes presentes no solo. Portanto, ela dimensiona todos os nutrientes que a planta necessita em grande e em pequena quantidade ­– macronutrientes e micronutrientes.

Ela deve ser aplicada quando não há informações sobre o solo ou quando é necessária uma mudança brusca no sistema produtivo.

A análise química completa também é importante em casos onde aconteceu algum tipo de problema com a safra e ele não foi identificado.

Por esse motivo, é muito útil em casos de baixa na produtividade ou quando apenas uma parte da plantação tem alguma deficiência, sem saber ao certo as razões desse acontecimento.

2 – Análise química básica

Para garantir a qualidade e entregas rápidas dos produtos provenientes da lavoura, bem como para que o produtor já tenha algumas informações relacionadas ao solo, esse tipo de análise é o suficiente.

Recomenda-se que ela seja feita uma vez ao ano, para que seja possível saber como está a integridade do manejo do solo.

Isso porque alguns fatores podem influenciar na disponibilidade de nutrientes do solo, como:

  • Plantio direto ou convencional;
  • Plantio com ou sem rotação;
  • Adubação verde;
  • Diferentes culturas;
  • Entre outros.

Por meio dessa análise, é possível manejar o plantio por meio de decisões mais conscientes e sem desperdiçar elementos como os fertilizantes.

3 – Análise física

A análise física é quando há o entendimento em relação à porcentagem de argila silte e areia. Trata-se de uma análise necessária não apenas por conta do manejo de nutrientes, mas também em relação ao uso de defensivos.

Podemos usar como exemplo os herbicidas pré-emergentes, que são mais indicados em áreas mais argilosas. Assim, o produtor consegue garantir a máxima eficiência do produto em questão.

Como é feita a coleta?

A coleta é feita antes do revolvimento do solo, para que assim possa ser obtido o nível de nutrientes em diferentes camadas.

Pode ser realizada em qualquer época do ano, inclusive em tempos de chuva ou seca, mas sempre com antecedência para obter as informações acerca do uso de corretivos e fertilizantes.

No caso de solo para pastagens, não é necessário fazer essa coleta como acontece em solos para plantio, exceto em casos de uso extensivo ou com bastante rotação.

Assim como jardinagem e paisagismo envolvem alguns procedimentos específicos, a análise de solo também, como no caso da divisão da área total em glebas (terrenos).

As áreas devem possuir até 20 hectares, além de serem necessários considerar alguns aspectos como a topografia, preparos anteriores, vegetação natural, cor e outros pormenores que possam influenciar as características do solo analisado.

Como a análise é interpretada?

Depois que o laboratório recolhe as amostras e faz a análise, o profissional capacitado realiza a interpretação. É desse modo que decisões referentes à adubação e calagem são feitas.

São analisados dados como tamanho de partículas de areia, silte e argila, saturação por alumínio, relação cálcio/magnésio, saturação por bases, CTC ou T e acidez do solo.

Também são avaliados os teores nutricionais, no que diz respeito à matéria orgânica, cálcio, magnésio, alumínio, fósforo e potássio.

É importante frisar que cada região possui sua própria metodologia e interpretação da análise de solo. Caso tenha alguma dúvida, o produtor pode consultar a Sociedade Brasileira de Ciência do Solo.

Conclusão

Para ter o status e a importância que tem hoje, no Brasil e no mundo, o agronegócio faz uso de diferentes procedimentos e materiais, como trena digital portátil, para modernizar e garantir a qualidade do cultivo.

A análise de solo é um desses recursos, visto que ela permite conhecer a fundo os locais que receberão as plantações, garantindo uma cultura mais saudável para o consumo.

Então, os alimentos que hoje em dia temos acesso só são de qualidade por conta de todo esse cuidado com o solo. Sem ele, inclusive, não haveria como garantir a integridade de grandes produções.

Em outras palavras, seria difícil atender à demanda atual no mundo todo sem os devidos cuidados com o solo.

Mais do que garantir a saúde e a qualidade de cada plantação, essa análise ajuda os produtores rurais a aumentarem sua produtividade e, com isso, obter maiores lucros.

Dessa forma, é possível plantar mais e garantir até mesmo a geração de emprego e renda nas áreas rurais. Cuidar bem do solo por meio dessa análise só traz benefícios para todos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Fonte: Por Isabella EndieI


Outras Notícias