Austrália pode banir glifosato

Agricultura - 11 de julho de 2019

O conselho da cidade de Sydney, na Austrália, disse na sexta-feira passada que estava revisando sua gestão de ervas daninhas, que incluiu o uso do Roundup da Bayer AG, depois que outros conselhos na Austrália começaram a cortar os laços com o produto em meio a preocupações sobre possíveis conexões com o câncer. O conselho, que cobre o centro de negócios da cidade, estava “revisando seus métodos de manejo e investigando outras tecnologias”, disse uma porta-voz à Reuters em um e-mail, um dia depois de uma greve dos trabalhadores em um conselho local.

O conselho da cidade de Sydney atualmente usa o Roundup como “último recurso… quando métodos que não envolvam pesticidas, como capina manual e cobertura do solo, foram ineficazes”, e começou a testar produtos alternativos no final de 2018, acrescentou a porta-voz. A Bayer diz que o Roundup é seguro e apoiado por vários órgãos reguladores, apesar de alguns tribunais afirmarem que seu principal ingrediente, o glifosato, era provavelmente carcinogênico.

A empresa alemã foi atingida por enormes pagamentos de compensações nos Estados Unidos este ano, devido a alegações de que seu produto causou câncer, que viu seu preço de ações despencar. A perspectiva de o conselho de Sydney repensar seus laços com o Roundup, principal produto da gigante norte-americana de agronegócios Monsanto Co até a compra da Bayer no ano passado, mostra a pressão de campanhas e ações de governos sobre o produto, mesmo quando os reguladores o consideram seguro.

“Porque há muita emoção em torno dele, as agências locais podem ser movidas para tomar uma decisão que é feita com base em apaziguar o público em geral, em vez da ciência disponível”, disse Ian Musgrave, farmacologista molecular e toxicologista da Universidade de Adelaide.

Fonte: Agrolink Por Leonardo Gottems 


Outras Notícias