Cientistas estudam tolerância alcalina do arroz

Agricultura - 11 de julho de 2019

De acordo com a Frontiers in Plant Science, cientistas da Academia Chinesa de Ciências Agrícolas usaram a técnica de edição de genoma CRISPR-Cas9 para conhecer a regulação sensível da pirofosfatase inorgânica em arroz sob estresse alcalino. O estresse alcalino é um dos fatores abióticos que afetam o crescimento e o desenvolvimento das plantas e a pirofosfatase inorgânica é uma enzima utilizada em vários processos biológicos relacionados à resposta ao estresse abiótico

Os pesquisadores usaram o sistema CRISPR-Cas9 para a mutagênese do gene OsPPa6, que codifica uma pirofosfatase inorgânica no arroz. Foram obtidos dois mutantes livres semelhantes que exibiram atraso no crescimento e desenvolvimento, particularmente sob stress alcalino. Os testes também mostraram que a mutagênese da OSPPa6 foi significativamente induzida por estresse alcalino.

Além disso, os resultados indicaram que os teores de fosfato nos mutantes foram maiores que os do tipo selvagem quando sob estresse alcalino, mas o acúmulo de fosfato inorgânico, ATP, clorofila, sacarose e amido nos mutantes foi significativamente reduzido. Nesse sentido, a partir do que foi descoberto, mutagênese da OsPPa6 reduziu a taxa de fotossíntese em mutantes de arroz.

Com base nos resultados, concluiu-se que o gene é um fator regulador importante de OSPPa6 osmótica em arroz e CRISPR-cas9 é eficaz para avaliar a regulação sensível da ferramenta de gene de estresse induzida. Sendo assim, foi possível entender de forma mais completa o motivo da resistência do arroz, para poder no futuro ser utilizado em outras culturas.

Fonte: Agrolink Por Leonardo Gottems

Crédito: DP Pixabay


Outras Notícias