Compradores chineses de grãos já preparam reação

Agricultura - 6 de Março de 2018

Os produtores de ração animal da China, o maior comprador mundial de soja, encontrarão formas de lidar com o aprofundamento de uma disputa comercial com os Estados Unidos e uma menor importação de soja americana, disse um dos líderes do New Hope Group, o maior produtor de ração do país asiático.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou planos na sexta-feira passada de impor tarifas pesadas em aço e alumínio importado, levando a preocupações sobre uma possível forte retaliação por parte da China e outros parceiros comerciais importantes.

No mês passado, Pequim já assustou os americanos com o anúncio de uma investigação antidumping nas importações de sorgo dos Estados Unidos, um grão usado como forragem e no caso da China no licor baijiu depois que Washington aumentou as tarifas sobre máquinas de lavar e painéis solares.

Executivos acreditam que agora Pequim teria como alvo commodities mais importantes, como a soja. Os Estados Unidos exportam US$ 12 bilhões somente da oleaginosa.

Liu Yonghao, do New Hope Group, disse que os dois países devem evitar uma guerra comercial. Ele é o primeiro executivo chinês a falar publicamente sobre o assunto. Yonghao antecipou que encontrará outros fornecedores de soja. “O mercado é enorme. Há muitos países que não são os Estados Unidos”, afirmou. O New Hope Group produz 25 milhões de toneladas de ração anualmente.

Fonte:  AGROLINK –Leonardo Gottems

Imagem créditos: Emater-MG

Outras Notícias