EUA deve receber menos chuvas e registrar temperaturas mais altas nos próximos dias

Previsão do Tempo - 11 de julho de 2016

A semana começa com novas previsões de clima para o Meio-Oeste norte-americano e agitando o mercado de grãos na Bolsa de Chicago. Segundo as últimas informações de institutos meteorológicos particulares e do departamento oficial de clima dos EUA – o NOAA – as próximas semanas deverão ser de temperaturas acima da média para o período, e de chuvas abaixo. O final de julho, segundo essas previsões, deverá ser mais quente e seco e chama a atenção dos traders e analistas de mercado.

Previsão para os próximos 6 a 10 dias

O Meio-Oeste norte-americano, segundo ilustram os mapas do NOAA, tem 60% a 80% de probabilidade de registrar temperaturas acima da média no intervalo dos próximos 6 a 10 dias. As chuvas, no mesmo período, poderiam ficar abaixo dessa média para a época, com 33% a 60% de probabilidade.

Chuvas EUA 6 a 10 dias - Fonte: NOAA

Chuvas previstas nos EUA entre os dias 16 e 20 de julho – Fonte: NOAA

Temperaturas EUA 6 a 10 dias - Fonte: NOAA

Temperaturas previstas nos EUA entre os dias 16 e 20 de julho – Fonte: NOAA

E como indicam os mapas do Instituto de Clima da Universidade George Mason, dos EUA, de 11 a 19 de julho as previsões indicam as temperaturas alcançando níveis de 24ºC a 37,78ºC.

Temperaturas nos EUA de 11 a 17 de julho: Fonte: George Mason University

Temperaturas nos EUA de 11 a 19 de julho: Fonte: George Mason University

Previsão para os próximos 8 a 14 dias

Para o período de 18 a 24 de julho, ou seja, nos próximos 8 a 14 dias, o padrão é basicamente o mesmo: menos chuvas e mais calor. Entretanto, segundo informações apuradas pela Labhoro Corretora, na próxima semana – que começa em 17 de julho – há a previsão da chegada de um sistema de de alta pressão na região do Delta, o qual poderia trazer um tempo mais seco e temperaturas variando entre 33 e 38 graus.

Temperaturas previstas nos EUA entre os dias 18 a 24 de julho - Fonte: NOAA

Temperaturas previstas nos EUA entre os dias 18 a 24 de julho – Fonte: NOAA

“A chave para o tamanho da oscilação será observar quais serão exatamente os estados impactados pelo bolsão de seca”, afirma Andrea Cordeiro, analista de mercado da Labhoro.

Chuvas previstas nos EUA entre os dias 18 a 24 de julho - Fonte: NOAA

Chuvas previstas nos EUA entre os dias 18 a 24 de julho – Fonte: NOAA

E no período de 19 a 27 de julho, esse intervalo das temperaturas poderia subir para 24ºC e 40ºC, ainda segundo os dados da Universidade George Mason.

Temperaturas nos EUA de 19 a 27 de julho: Fonte: George Mason University

Temperaturas nos EUA de 19 a 27 de julho: Fonte: George Mason University

O que o mercado quer saber sobre o clima?

Em entrevista ao site norte-americano AgWeb, o estrategista chefe da consultoria Allendale, Rich Nelson, disse que a grande questão para o mercado de grãos em Chicago é a questão climática nos Estados Unidos, principalmente depois de conhecidos os números de área de plantio no país, divulgado no último dia 30 de junho pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

“O mercado nos mostrou, nos último dias, que o clima é muito maior do que as informações de área”, disse Nelson. Agora, como explica ele, os traders estão focados em compreender como estas previsões climáticas se configuram, se confirmam e de que maneira irão impactar nas produtividades da soja e do milho.

Por enquanto, as lavouras norte-americanas se desenvolvem de forma satisfatória no Meio-Oeste americano. Os últimos números do USDA mostram 75% dos campos de milho em boas ou excelentes condições e 70% para a soja. Novos números serão reportados nesta segunda-feira (11), às 17h (horário de Brasília).

As dúvidas, no entanto, para a soja, se dão sobre as condições de clima entreb o final de julho e agosto, que é o período determinante para uma boa conclusão de safra e enchimento de grãos nos EUA. “Se o clima em agosto trouxer alguma ameaça à soja, o mercado poderia exibir alguma reação”, acedita o executivo da Allendale.

Junho

Esse mês de junho nos Estados Unidos foi o mais quente desde 1895, superando o recorde de 1933. as temperaturas muito elevadas foram registradas nos 48 estados norte-americanos e a média para o período ficou em 22ºC, de acordo com informações divulgadas pelo NOAA na última semana.

No entanto, o acumulado de chuvas no mês passado foi bastante significativo. O mapa a seguir, do portal AgWeb, mostra que os principais estados produtores norte-americanos receberam, de 11 de junho a 11 de julho, até 101 mm de chuvas.

Acumulado mensal de chuvas nos EUA - Fonte: AgWeb

Acumulado de chuvas nos EUA, nos últimos 30 dias, até 11 de julho – Fonte: AgWeb

Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Outras Notícias