Exportações fecham semestre com recuo

Categoria Geral - 13 de julho de 2017

Mato Grosso contabilizou com as exportações do primeiro semestre desse ano US$ 8,04 bilhões, dos quais US$ 7,97 bilhões gerados apenas com as vendas de produtos agropecuários. Quase 100% da pauta mato-grossense segue dependente da performance do agronegócio. No entanto, a comparação entre os acumulados de janeiro a junho deste ano ante 2016, revela queda de 2,21% sobre o faturamento desse setor.

De acordo com dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Mato Grosso obteve receita de US$ 7,97 bilhões no primeiro semestre do ano contra US$ 8,15 bilhões faturados em igual momento do ano passado. Com esse saldo financeiro, Mato Grosso encerrou o período em segundo lugar do ranking nacional, respondendo por 16,58% de tudo que o país embarcou em produtos agropecuários. O líder é o estado de São Paulo, cuja receita foi de US$ 9,43 bilhões, representando 19,61% do total nacional de janeiro a junho.

A redução na receita semestral, quando da comparação anual, tem como causa a brusca queda nos envios de milho, que nos primeiros seis meses de 2017 encolheram cerca de 76%.

Chama à atenção que em junho, o faturamento da pauta agropecuária de Mato Grosso superou o contabilizado em igual mês do ano passado, porém, não suficiente para sustentar um melhor desempenho de todo o período. Em junho do ano passado, as exportações de produtos agropecuários somaram US$ 1,30 bilhão e no mês passado foram US$ 1,50 bilhão. O melhor mês em vendas do primeiro semestre do ano no Estado, em 2016, foi em março, quando a receita mensal somou US$ 1,78 bilhão. Já em 2017, o recorde de movimentação da pauta agro foi registrado em maio, com US$ 1,62 bilhão.

Entre os produtos do agro com melhor desempenho nesse semestre está o complexo soja, puxado pelas vendas externas da soja em grão, cuja receita cresceu pouco mais de 17% ante igual acumulado do ano passado. Mato Grosso movimentou nos últimos seis meses quase um milhão e meio de toneladas a mais da oleaginosa sobre o mesmo momento do ano passado. Sendo assim, a pauta mato-grossense encerra este semestre com o embarque de 14,37 milhões de toneladas (t) ante 12,94 milhões/t. Em cifras, foram faturados US$ 5,45 bilhões contra US$ 4,65 bilhões, diferença que revela o acréscimo de 17% entre um período e outro.

Ainda dentro do complexo soja (óleo, farelo e grãos), as exportações do óleo também se destacam no período, com alta de 45,63% em relação ao faturamento do primeiro semestre do ano passado. O produto soma em 2017, envios de 130,69 mil/t contra 93,87 mil/t. Em cifras, são US$ 96,12 milhões contra US$ 60 milhões no ano passado.

Se as carnes bovina frescas ou refrigeradas têm queda anual, os cortes desossados e congelados ampliaram em 12% o faturamento, passando de US$ 353,99 milhões para US$ 399,14 milhões. Em volume físico foram movimentados 98,33 mil toneladas contra 93,72 mil toneladas.

No complexo carnes (bovina, suína e de aves), se destacam também as vendas de cortes de suínos congelados com ganho de mais de 35% na receita anual. Conforme dos dados do Ministério, as vendas somaram US$ 51,26 milhões ante US$ 37,80 milhões. Em volume, são 19,68 mil/t contra 19,63 mil/t, mostrando como o preço em dólar variou positivamente, já que o volume se manteve praticamente o mesmo.

Fonte:  DIÁRIO DE CUIABÁ

Outras Notícias