Fórum Nacional do Bem-Estar Animal

Agricultura - 6 de Fevereiro de 2018

Fórum Nacional do Bem-Estar Animal:

Inimiga do Emprego e do Ser Humano

                   O Sindicato Rural de São Gabriel, quarta mais antiga entidade rural do Rio Grande do Sul, representativa do município com o 6º maior PIB Rural gaúcho e entre 0s 63 maiores municípios produtores do Brasil, detentora do quarto maior rebanho bovino do Estado, associa-se à justa indignação dos pecuaristas brasileiros com a decisão regressista da 25ª Vara Cível Federal de São Paulo – SP, impedindo a partida de navio turco com 27 mil cabeças de gado bovino em pé do Porto de Santos e proibindo toda forma de embarque de gado vivo para o exterior, decisão que foi parcialmente revertida pela Advocacia Geral da União, garantindo a viagem da carga rumo à Turquia, mas ainda com a permanência da insegurança jurídica em relação a contratos futuros.

               A cadeia produtiva da pecuária brasileira, uma das mais competitivas do mundo, possui na ponta do processo o pecuarista zeloso da boa alimentação e bom trato do seu rebanho, passando por técnicos veterinários, profissionais de transporte de gado por modal viário e marítimo, com ampla expertise de observância de padrões de qualidade e bem-estar animal. Toda esta corrente teve sua capacidade questionada irresponsavelmente pela acusação desta ONG, manchando perante toda a comunidade internacional a imagem do Brasil, semeando insegurança jurídica e prejuízos.

                Paradoxalmente, a ação do Fórum Nacional do Bem Estar Animal contra o embarque da carga viva, causou profundo estresse e sofrimento aos animais, que permaneceram por tempo indevido no Porto de Santos.  Agem movidas pelo interesse de prejudicar a pecuária nacional e favorecer a cadeia industrial da carne, bem como nossos concorrentes internacionais.

                A carga viva que chega a países como a Turquia, tem contribuído para minimizar o drama social da fome nos campos de refugiados das vítimas do Estado Islâmico. No entanto, o dilema destes seres humanos não toca a sensibilidade seletiva destes grupos pseudo-ambientalistas. Nem tampouco o desemprego de centenas de trabalhadores brasileiros que serão prejudicados com a permanência da proibição do embarque de cargas vivas para o exterior.

                Confiamos que a serenidade da Justiça examinará, de forma definitiva, este tema, reconhecendo o cuidado do pecuarista brasileiro com o bem-estar animal e sua contribuição para a manutenção da sobrevivência de milhões de seres humanos, tanto os trabalhadores brasileiros quanto os que dependem da carne brasileira para se alimentar em diversos países do mundo.

Tarso Francisco Pires Teixeira

Presidente do Sindicato Rural de São Gabriel

Vice Presidente da Farsul

Outras Notícias