Gestão e acesso a crédito viabilizam melhorias no meio rural de Alegria

Agricultura - 17 de outubro de 2019

Para fazer a gestão da propriedade rural é preciso dedicar tempo e organização, porém, se usarmos esse insumo de forma equilibrada, planejando mais, será possível potencializar os resultados da atividade que se desenvolve?. Foi com esta lógica apresentada pelo técnico da Emater/RS-Ascar de Alegria, Arlindo Moura de Almeida, que a produtora e empreendedora rural Verônica Kusiak Gunchorowski dedicou-se à elaboração e execução de um plano de gestão para quatro anos em sua propriedade. Verônica é beneficiária do Programa de Gestão Sustentável da Agricultura Familiar, executado pela Emater/RS-Ascar e coordenado pela Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

Partindo do diagnóstico da propriedade como primeira etapa do Programa, realizada em 2016, a decisão em atender ao plano construído já tem apontado resultados positivos. Desde então foi registrado um aumento da produção, de 63.200 para 95.800 litros de leite por ano, um crescimento de mais de 51% nos três primeiros anos.

Visando aumentar a renda familiar aliada à melhoria das condições de trabalho, foram realizados investimentos para ampliação da área de pastagens e de produção de silagem de milho, construção de sala de ordenha e adequação de um galpão de alimentação para o rebanho leiteiro, que também foi ampliado. Verônica afirma de que as condições ?mudaram da noite para o dia, agora não preciso mais erguer tarro e ficou fácil de colocar silagem no cocho?. Antes demorava em torno de quatro horas por dia para as ordenhas e agora, com a metade do tempo, o trabalho já está pronto.

O técnico da Emater/RS-Ascar destaca que o crédito rural com assistência técnica é outra ferramenta que tem permitido à família de Verônica melhorar a qualidade de vida e realizar sonhos. Com o Pronaf Mais Alimentos foi possível antecipar as obras de infraestrutura. Também é acessada, anualmente, linha de custeio para atividades agropecuárias da unidade de produção. Como operação inédita no município, a agricultora irá utilizar o Pronaf Habitação para a construção da sua nova moradia no meio rural.

A agricultora diz que ?é um sonho que via nas outras propriedades e agora é realidade na minha?, e reitera que a pretende dobrar a produção de leite nos próximos anos e garantir a sucessão familiar pelo filho Gilnei, de 19 anos.

O diagnóstico da atividade leiteira realizado pela Emater/RS-Ascar no município de Alegria, em 2016, indicou como uma das principais carências a ausência de salas de ordenha com fosso, situação recorrente em 79% das propriedades de leite. Esse percentual é hoje bem menor, segundo Arlindo, por dois motivos, o abandono da atividade por mais de 40 produtores e a construção de novas estruturas de ordenha por diversos produtores que permaneceram na atividade e buscam se profissionalizar.

São 22 agricultores que vêm sendo assistidos pela Emater/RS-Ascar através do Programa de Gestão Sustentável da Agricultura Familiar, destes, 12 dedicam-se à atividade leiteira. A Emater/RS-Ascar, entretanto, está à disposição para orientar e elaborar projetos de crédito para todos os produtores que tiverem interesse, bastando procurar o Escritório Municipal.

Fonte: EMATER – RS


Outras Notícias