Infocafé – 06/12

Agricultura - 7 de dezembro de 2018

Bolsa de N.Y finalizou a quinta-feira inalterada, a posição março oscilou entre a máxima de +0,75 pontos e mínima de -1,50 pts.

O dólar comercial fechou em alta de 0,18%, cotado a R$ 3,8750. A prisão de uma executiva da gigante chinesa de tecnologia Huawei intensificou os temores de acirramento da guerra comercial entre Estados Unidos e China poucos dias depois de um encontro histórico entre os presidentes dos dois países. “É negativo para a China, e se é negativo para a China é também para os países emergentes. É dólar mais forte, e isso sugere menos exportações do Brasil”, disse a estrategista de câmbio do Banco Ourinvest, Fernanda Consorte, à agência de notícias Reuters. No Brasil, investidores estavam cautelosos com o novo governo e as indefinições sobre a reforma da Previdência e a cessão onerosa, projeto que pode render bilhões de reais aos cofres públicos em leilões de áreas do pré-sal. O mercado considera a reforma da Previdência como uma das medidas mais importantes para reduzir os gastos do governo e equilibrar as contas públicas. O BC vendeu nesta sessão 13,8 mil contratos de swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares. Desta forma, rolou US$ 2,766 bilhões do total de US$ 10,373 bilhões que vence em janeiro. Se mantiver essa oferta diária até dia 21 e vendê-la integralmente, terá concluído a rolagem total.

O Brasil vem liderando a produção mundial há muitas décadas, mas o que o mundo descobre, a cada ano, é a excepcional qualidade dos cafés nacionais, que entregam excelência em grande escala. Na quarta-feira, 5 de dezembro, os grãos naturais brasileiros roubaram a cena ao movimentarem mais de *R$ 1,172 milhão (US$ 303.084,82) no leilão dos 37 lotes vencedores da categoria “Naturals” do Cup of Excellence – Brazil 2018, principal concurso de qualidade internacional realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) dentro do projeto setorial “Brazil. The Coffee Nation”, em parceria com a Alliance for Coffee Excellence (ACE). Entre os vencedores, os oito primeiros colocados receberam notas superiores a 90 pontos (escala de zero a 100 da competição) do júri internacional e foram eleitos cafés presidenciais. No pregão, esses lotes foram comercializados por valores de *R$ 3.888,82 (US$ 1.005,33) por saca a *R$ 40.986,01 (US$ 10.595,62) por saca, evidenciando sua qualidade diferenciada. Ao término do leilão, todos os 37 cafés ofertados foram adquiridos por grandes importadoras mundiais, originárias de Alemanha, Japão, Coreia do Sul, Inglaterra, Canadá, Austrália e do próprio Brasil, com o preço médio pago por saca equivalendo a *R$ 4.216,29 (US$ 1.089,99). O resultado completo pode ser acessado no site da ACE: https://goo.gl/6U6Ynj.

Fonte: Mellão Martini

Outras Notícias