Infocafé de 10/06/19

Agricultura - 11 de junho de 2019

N.Y. finalizou a segunda-feira em baixa, a posição julho atingiu a mínima de -2,95 pontos fechando com -2,35 pts.

O dólar comercial fechou o dia em alta de 0,18%, cotado a R$ 3,8850. O dia foi marcado pelas incertezas levantadas após reportagens do site “The Intercept Brasil” revelarem que o então juiz federal Sergio Moro colaborou com o coordenador da operação Lava Jato no Ministério Público Federal, Deltan Dallagnol. Analistas iniciaram a semana atuando com cautela, diante de dúvidas sobre como as revelações podem afetar os mercados e o avanço da agenda econômica dentro do governo. No cenário externo, os mercados operavam positivamente após Estados Unidos e México apontarem para um acordo, na semana passada, para evitar uma guerra tarifária. Uma semana antes, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que pretendia impor tarifas de importação sobre produtos mexicanos, caso o país vizinho não trabalhasse para combater a imigração ilegal.

A produção mundial de café no ano cafeeiro de 2018-2019 está estimada em 168,05 milhões de sacas, volume que corresponde a um aumento de 1,5% do que foi produzido no planeta na safra 2017-2018. Com relação ao consumo, também em nível mundial, estima-se que haverá um crescimento de 2%, o qual atingirá 164,64 milhões de sacas. A despeito de o consumo mundial ter tido crescimento médio de 2,2% nos cinco últimos anos-cafeeiros, a produção global será superior em 3,41 milhões de sacas em 2018-2019, cujo período ora em destaque apresentará superávit pela segunda vez consecutiva. Nos sete primeiros meses do ano-cafeeiro 2018-2019, as exportações globais alcançaram 74,01 milhões de sacas, e no mesmo período do ano-cafeeiro anterior foi de 70,89 milhões. Neste caso, de outubro de 2018 a abril de 2019, as exportações dos cafés Naturais Brasileiros aumentaram 18,5%, atingindo 24,86 milhões de sacas, e os Suaves Colombianos aumentaram 8%, passando para 9,07 milhões. Quanto aos cafés Robustas, houve declínio nas exportações de 0,3%, cujo volume somou 26,09 milhões de sacas, assim como de Outros Suaves que diminuíram 8,9%, com a exportação de 13,97 milhões, nos sete primeiros meses do ano-cafeeiro objeto desta análise. Os dados e números que permitiram realizar esta análise do panorama da cafeicultura em nível mundial foram obtidos do Relatório sobre o mercado de Café maio 2019, da Organização Internacional do Café – OIC. Tal Relatório está também disponível para consulta na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café. Para a OIC, conforme a origem produtora, os cafés são agrupados nos seguintes tipos Suaves Colombianos, Outros Suaves, Naturais Brasileiros e Robustas. E, além disso, o ano-cafeeiro para a Organização compreende o período que abrange os meses de outubro a setembro.

Fonte: Mellão


Outras Notícias