Lesmas se escondem em palhada sob a soja e complicam erradicação

7 de dezembro de 2017

Sem agroquímicos específicos para combater estas pragas, produtores apelam para o maior uso de sementes para compensar estande afetado

Em Sorriso, principal município produtor de soja do Brasil, o clima não foi o melhor, mas ainda assim a expectativa é de uma produtividade média de 60 sacas por hectare, o que irá garantir o posto de destaque no País. Mas, o ataque de lesmas vem gerando preocupação em algumas lavouras. A dificuldade é a falta de produtos para controle da praga.
A presença destas pragas na lavoura já fez o sojicultor Pedro Vigolo perder mais de 30 hectares de soja, isso há três anos. Agora, o problema voltou a atormentar. A palhada no solo atrai a praga, que procura locais para se abrigar do sol. A noite as lesmas saem dos esconderijos para se alimentar das plantas.
Para o problema não se agravar, o produtor tem feito o que pode, já que os defensivos específicos para combater o problema não são autorizados no Brasil. “A gente acaba usando mais sementes, para que se as lesmas tirarem o estande, não teremos mais prejuízo. Algumas vezes aramos a terra, para erradicar elas”, conta Vigolo.
Segundo o presidente do Sindicato Rural de Sorriso, Luimar Gemi, este problema não deve afetar a perspectiva de produtividade da região. “Se as 60 sacas por hectares de produtividade forem atingidas, entenderemos que estamos fazendo os investimentos corretos, que os agricultores estão implantando as melhorias em suas propriedades, e que cada ano estamos evoluindo. O clima também está permitindo um bom desenvolvimento da cultura”, diz ele.
Por: André Anelli
Fonte: Canal Rural