Melhoramento avançado possibilita grãos mais resistentes

Categoria Geral - 22 de setembro de 2019

Pesquisadores estão envolvidos no desenvolvimento e implementação de um método para produzir eficientemente grãos resistentes a doenças em diferentes regiões do mundo. O trabalho deles ajudará a melhorar a subsistência e a segurança alimentar dos pequenos agricultores nos países em desenvolvimento.

Para muitas pessoas na África e na América Latina, o feijão é um item importante. Historicamente descrito como “a carne dos pobres”, o feijão é rico em proteínas e minerais, com preço acessível e enchimento adequado. É por isso que eles são servidos diariamente, geralmente com várias refeições.

Em muitas regiões, no entanto, doenças de plantas reduzem severamente a produção de feijão. Por exemplo, a temida doença angular da mancha foliar pode causar perdas de até 80% – especialmente na África, onde os pequenos proprietários raramente têm a oportunidade de proteger suas plantações com fungicidas.

Trabalhando com o especialista Bodo Raatz e sua equipe no Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT), os pesquisadores da ETH do grupo liderado por Bruno Studer, professor de melhoramento molecular de plantas, investigaram a resistência do feijão à doença angular da mancha foliar. Suas descobertas estão agora permitindo que as variedades de feijão resistentes a doenças sejam criadas mais rápida e seletivamente para as várias regiões produtoras de feijão do mundo.

Seu método baseia-se na análise do genoma desses grãos potencialmente adequados para a criação de novas variedades resistentes. Os perfis genéticos resultantes fornecem informações sobre se a progênie do cruzamento de duas variedades será resistente às diferentes cepas de ocorrência local do fungo patogênico.

Fonte: Agrolink Por Leonardo Gottems


Outras Notícias