Novas tecnologias para bataticultores em viagem técnica para Alemanha e Holanda

Agricultura - 14 de setembro de 2018

Juntos estes produtores representam uma significativa parte da produção total de batatas no Brasil

Um grupo de 27 produtores de batata de São Paulo e Minas Gerais, liderados pela Qualicitrus seguirão para a Holanda e Alemanha esta semana para conhecer e novas e modernas tecnologias aplicadas a produção da batata.  Juntos estes produtores representam uma significativa parte da produção total de batatas no Brasil.

O produtor Luiz Roberto Trevisan, da Batatas Trevisan, cultiva a batata desde 1970 e que desde 2013 passaram a produzir pratos prontos e congelados à base de batata, verticalizando o negócio e fazendo com que o produto seja entregue à mesa do consumidor com garantia de qualidade desde sua origem.  O Sr. Trevisan após visitar a McCain Batatas, em Emmelord na Holanda, comentou ficou impressionado com essa empresa canadense fundada em 1957. É a maior produtora de batata pré-frita do mundo, além de outros alimentos congelados.

Está distribuída em doze países, inclusive no Brasil. A visita a está gigante contribuiu para algumas ideias que poderiam ser implementadas no Brasil. Segundo Luiz Roberto o que mais lhe impressionou foi a eficiência como eles tocam a empresa com reduzido número de funcionários e processam um volume gigantesco de batatas, 2,2 milhões de toneladas ano apenas na unidade visitada.

O bataticultor Luiz Roberto Trevisan com propriedade agrícola no município de Sacramento e também empresário da indústria Batatas Trevisan, cultiva a batata desde 1970. Desde 2013 passou também produzir pratos prontos e congelados à base de batata, verticalizando o negócio e fazendo com que o produto seja entregue à mesa do consumidor com garantia de qualidade desde sua origem.  O Sr. Trevisan após visitar a McCain Batatas, em Emmelord na Holanda, comentou ter ficado impressionado com essa empresa canadense fundada em 1957. Ela é a maior produtora de batata pré-frita do mundo, além de produzir outros alimentos congelados.

Está distribuída em doze países, inclusive no Brasil. A visita a está gigante contribuiu para algumas ideias que poderão ser implementadas no Brasil. Segundo Sr. Trevisan o que mais lhe impressionou foi a eficiência como eles tocam a empresa com reduzido número de funcionários e processam um volume gigantesco de batatas, 2,2 milhões de toneladas/ano na unidade visitada.

Os bataticultores também visitaram a Dewulf, empresa em Winsum, Holanda que produz todas máquinas para do plantio à colheita e inclusive o armazenamento de batata. Conforme comenta o Sr. Dauer Faber Lerri Sikora, do município de Casa Branca o que mais lhe chamou a atenção foi o uso de robôs para realização das soldas nas linhas de montagem e o sistema lean manufacturing adotado na fábrica.

Fonte e Revisão: Agrolinck com Colaboração Professor Aluizio Borem

Outras Notícias