Nove marcas de azeite estão proibidas de serem vendidas

Agricultura - 22 de novembro de 2020

A informação é do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por conta de uma investigação realizada pela Polícia Civil do Espírito Santo

Nove marcas de azeite estão proibidas de serem comercializadas no Brasil por serem produtos investigados como fraudados e falsamente declarados como azeite de oliva extra virgem. A informação é do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por conta de uma investigação realizada pela Polícia Civil do Espírito Santo, por meio da Delegacia de Defesa do Consumidor (Decon), que desarticulou uma organização criminosa especializada na falsificação de azeites.

De acordo com a polícia, os produtos vendidos como azeite de oliva extra virgem eram, na verdade, óleo de soja. As marcas sob investigação, que seriam rótulos fictícios, são: Casalberto, Conde de Torres, Donana (Premium), Flor de Espanha, La Valenciana, Porto Valência, Serra das Oliveiras, Serra de Montejunto e Torezani (Premium). Os investigados criavam as marcas, supostamente importadas, e colocavam para venda no mercado nacional.

O Ministério da Agricultura orienta que os estabelecimentos que possuem essas marcas em estoque ou expostos à venda, devem informar imediatamente as autoridades e pedir orientações sobre como proceder. O descumprimento à proibição poderá acarretar multa ao detentor da mercadoria, denúncia ao Ministério Público Federal para eventual responsabilização civil e criminal e formalização de Boletim de Ocorrência à Polícia Civil indicando o responsável do estabelecimento comercial

Fonte: Brasil 61


Outras Notícias