Nutrir e preparar o solo para o plantio da safra de 2020/21

Agricultura - 1 de agosto de 2020

De acordo com o calendário agrícola, produtores rurais já se preparam para a próxima safra. Especialistas orientam que este é o momento ideal para as análises e correções de solo

Os produtores rurais, em Goiás, já deram início ao preparo de solo que antecede o plantio da safra 2020/21. O preparo tem o objetivo de oferecer condições ideais para as culturas alcançarem o máximo potencial produtivo. Levando em consideração que um dos principais limitantes da produção agrícola é a fertilidade do solo e a nutrição de plantas, os especialistas da área orientam que sejam feitas, neste período, as análises químicas e físicas do solo para a definição do melhor manejo nutricional.

O manejo é fundamental para o cultivo de qualquer cultura agrícola, seja ela de grãos, cereais, frutíferas, florestais ou pastagem. O engenheiro agrônomo Saulo Brockes explica que com essas análises é possível conhecer os teores do solo e recomendar a calagem para correção da acidez, por exemplo. “Com esse estudo também avaliamos a necessidade de complementar os teores de macro e micronutrientes fundamentais para o pleno crescimento e desenvolvimento da lavoura”, diz.

José Mário Lobo Ferreira, de Padre Bernardo (GO), é produtor de soja e milho, e ainda trabalha com o sistema de Integração Lavoura Pecuária. Para ele o sistema de produção, visando o manejo, é fundamental para a produtividade ao longo do tempo. “Isso permite uma maior estabilidade e resistência às intempéries climáticas”, explica ele.

O produtor conta que trabalha com o manejo ao longo do ano. O objetivo inicial é manter o solo sempre coberto, propiciar uma maior diversificação de culturas e buscar uma maior atividade biológica do solo. “Fazemos as estratégias de adubação e correção do pH, e de ativação da biologia do solo, no período entre as safras, ou seja, antes do plantio”, diz. Em sua propriedade, o José Mário faz o uso de calcário, gesso, e recentemente passou a usar os remineralizadores como parte do manejo do sistema.

Como preparar o solo com remineralizador

O remineralizador, também conhecido como rochagem ou pó de rocha, pode tornar-se uma importante técnica de fertilização, complementar às práticas tradicionalmente utilizadas na agricultura. Esses remineralizadores têm o objetivo de aplicar minerais jovens no solo que são ricos em multinutrientes. “O pó de rocha entra no manejo nutricional principalmente como fonte de potássio, silício e micronutrientes. O resultado é a melhora da a fertilidade do solo e a nutrição de plantas”, como explica o engenheiro agrônomo Saulo.

Dados recentes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), aponta que a área plantada no Brasil com os agrominerais já ultrapasse dois milhões de hectares. Só em Goiás, estado pioneiro no uso da rochagem, há registro de pelo menos 250 mil hectares plantados com adubação mineral ou biológica.

Entre as opções temos o pó do Fino de Micaxisto (FMX) que deve ser posicionado e aplicado cerca de 60 dias antes do plantio, assim como o calcário, para ocorrer a reação desejada na lavoura. “Dessa forma damos o tempo e a condição necessária para a rocha passar pelo biointemperismo e disponibilizar a nutrição para as plantas”, explica o agrônomo.

Segundo Saulo, o FMX, por ser um pó com granulometria filer, é de fácil e simples aplicação. O produto pode ser aplicado manualmente no solo ou mecanizado com distribuidor de sólidos ou calcareadeira antes do plantio da lavoura. “Esse pó de rocha é uma excelente ferramenta de fertilização do solo e nutrição de plantas, além de entrar também como manejo cultural de pragas e doenças na lavoura, pelos altos teores de silício e potássio”, acrescenta.

Alguns produtores em Cristalina, região do Entorno do Distrito Federal, deram início nesta semana ao preparo de solo com pó de rocha justamente com esse foco. Danilo Paixão que presta assistência técnica na região, conta que os produtores rurais estão focados em alinhar produtividade e sustentabilidade.

De acordo com Danilo, os produtores que optaram pelo uso dos remineralizadores esperam o aumento da produtividade, mas também querem produzir de forma sustentável. “O objetivo é abolir o uso de químicos e focar na revitalização do solo”, completa o profissional.

Fonte: Leidyane Alves


Outras Notícias