Presidente da Faeg defende alternativas de garantia para o agro

Agricultura - 8 de Fevereiro de 2018

O produtor rural tem feito sua parte dentro da porteira, agora fora dela nós sabemos das dificuldades que o setor agropecuário enfrenta. A afirmação é do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), José Mário Schreiner, que fez a abertura do evento ‘Do Campo à Cidade: Cenário Macroeconômico para 2018 – O Agro em Debate’, realizado nesta quarta-feira (7), em Goiânia (GO). Com o auditório da entidade lotado, o evento reuniu produtores rurais, profissionais das áreas agrícola e pecuária, técnicos, estudantes e demais pessoas ligadas à agropecuária em Goiás. A realização é da Faeg, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Goiás (Sebrae Goiás).

Segundo José Mário Schreiner, mesmo diante do cenário ainda incerto da economia brasileira, o produtor goiano se mostra otimista para o ano de 2018. “O campo e o produtor rural sempre foram otimistas por natureza. E esse otimismo tem que ser mantido, mesmo nas dificuldades”, completa José Mário ao citar que vê a “política agrícola brasileira bastante conturbada”. “Precisamos buscar alternativas e financiamentos para a safra, garantia de seguro rural, buscar infraestrutura e logística que atenda e se equipare ao tamanho que é o setor agropecuário”, pontua o presidente.

whatsapp image 2018 02 07 at 15.41.49

Ricardo Amorim falou em palestra sobre o mercado econômico e político em 2018

De acordo com José Mário, eventos promovidos pela Federação, como o de hoje, garantem ao produtor goiano oportunidade de se atualizar sobre assuntos que envolvem diretamente produção e inovação. “Um evento como esse permite ouvir especialistas de várias áreas. Temos um ano de eleições e isso também influencia no ambiente econômico do País. Ninguém tem bola de cristal, mas dá para debater o cenário para que os produtores possam planejar melhor suas atividades. O Brasil começa a dar sinais de recuperação de sua economia, os níveis de emprego começam a melhorar, mas temos que ficar atentos. O setor agropecuário para Goiás e para o Brasil é fundamental”, diz.

Cenário econômico e político 

O economista e apresentador do programa Manhattan Connection, da Globo News, Ricardo Amorim, abriu as palestras do evento, falando sobre os impactos do período da forte de recessão enfrentado pelo País. Para o economista, existem dados que corroboram a tese otimista, dentre eles, os indicadores de emprego e da taxa de juros. “Há perspectivas positivas para os próximos anos. O Brasil viveu a sua pior crise da história e, no entanto, conseguiu retomar o crescimento a partir do resgate da confiança, tanto do empresário quanto do consumidor”, destaca.

De acordo com Amorim, o futuro é sempre incerto e, com relação a 2018, não é diferente. “Se as reformas da Previdência e a Tributária forem aprovadas, podem contribuir para melhorar as contas públicas e fortalecer a competividade da economia brasileira, colaborando para o aumento dos investimentos produtivos e, por consequência, para a geração de mais empregos e para um crescimento mais acelerado e mais duradouro”, destaca.

whatsapp image 2018 02 07 at 17.23.25

Enio Fernandes falou sobre o mercado da soja e de milhoPara ele, maior ainda é a incerteza eleitoral. “Ainda não sabemos ao certo quem serão os candidatos, menos ainda o que farão se eleitos. Apesar disso, o risco de uma guinada substancial na política econômica que possa colocar em risco a recuperação parece relativamente limitado”, aponta.

Mercado agrícola

Alcançar resultados positivos na produção da soja e de milho é uma tarefa que não se restringe apenas a questões do campo. O tema foi destaque da segunda palestra do evento Do Campo à Cidade: O Agro em Debate, ministrada pelo consultor de mercado da Terra Agronegócio, Enio Fernandes. De acordo com ele, atualmente tudo interfere nas plantações de soja e milho. Desde as bolsas de valores até o petróleo e o preço do ouro, por exemplo. “Quem sabe gerir bem o seu negócio tem longevidade no processo. O sucesso no negócio não pertence aos mais produtivos, mas aos melhores gestores”, ressalta.

Pecuária de cortewhatsapp image 2018 02 07 at 17.56.31Rodrigo Albuquerque finalizou o evento falando sobre o mercado da pecuária de corte para 2018

Já o médico veterinário e analista de mercado do Notícias do Front, Rodrigo Albuquerque, ressaltou em sua palestra ‘Mercado da Pecuária de Corte para 2018’, que tomar a decisão de compra e venda da produção no momento certo, pode significar a permanência ou não na pecuária nas próximas décadas. “Não basta mais ter boa produção dentro da porteira. Além desta tarefa, obrigatória para todo agropecuarista, com margens cada vez mais apertadas, exige monitoramento constante do mercado”.

Albuquerque salienta ainda que o pessimismo com os agentes de mercado totalmente retraídos, não será onipresente este ano. Apesar disso, o pecuarista deve ter pontos de atenção. “Entraremos num ciclo de aumento de produção, fruto do momento do ciclo pecuário. É necessário que o pecuarista tenha vazão desta oferta, seja pelo sempre promissor mercado externo ou pelo retorno de um mercado interno mais ativo”, ressalta o analista.

Texto: Nayara Pereira 

Fotos: Larissa Melo

Outras Notícias