Rally da Safra 2018 chega ao Rio Grande do Sul para avaliar lavouras de soja

Agricultura - 8 de Março de 2018

O Rally da Safra 2018, maior levantamento da safra de grãos do País, estará no Sul do Brasil a partir de segunda-feira, dia 12 de março. A Equipe 8 terá largada em Chapecó e irá avaliar áreas no Oeste de Santa Catarina, seguindo depois para as regiões do Planalto e Missões, no Rio Grande do Sul, finalizando a etapa na quinta-feira, dia 15. “Enquanto a metade Sul do Estado enfrenta um das piores secas da história, a região do Planalto está prestes a colher uma safra espetacular. Isso poderá compensar a queda na produtividade do Sul do estado gaúcho”, afirma o sócio analista da Agroconsult, André Debastiani, um dos coordenadores do Rally da Safra.

Durante os quatro dias de trabalho a equipe deverá realizar amostras em lavouras nos municípios de: Nonoai, Frederico Westphalen, Sarandi, Palmeira das Missões, Horizontina, Três de Maio, Santo Ângelo, Ijuí, Cruz Alta, Santa Bárbara do Sul, Não-Me-Toque, Carazinho, e Passo Fundo, entre outros.

A expectativa pré Rally da Safra, a ser confirmada em campo, é de uma produção de 117,5 milhões de toneladas de soja em todo Brasil. Para o Rio Grande do Sul, a produção é estimada em 18,8 milhões de toneladas, igual à safra anterior. Já a área plantada poderá crescer 3%, chegando a 5,7 milhões de hectares nesta safra.

Roteiro

Nesta 15ª edição do Rally são 12 equipes em campo, das quais nove avaliarão as lavouras de soja até o mês de março. Outras três vão a campo entre maio e junho para verificar as áreas de milho segunda safra. O levantamento acontecerá em 500 municípios nos 13 principais estados produtores que correspondem a 95% da área de soja e 72% da área de milho: Mato Grosso, Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia, Maranhão, Piauí e Tocantins.

Os técnicos avaliarão as condições das lavouras, população de plantas, peso médio de grãos, incidência de pragas, doenças e ervas daninhas, características físicas e nutricionais da soja, cobertura do solo, levantamento da participação de transgênicos, entre outros aspectos.

A expedição fará dez eventos regionais – com objetivo de divulgar dados da safra e apresentar cenários de mercado – e 30 cafés com produtores – para levantar expectativas sobre a safra da região e debater temas importantes para o setor. Diversas entrevistas com produtores e técnicos ao longo do percurso serão realizadas para validar as informações coletadas a campo. A estimativa é percorrer um total de 95 mil quilômetros neste ano, com aproximadamente 1500 lavouras amostradas e 3.000 produtores contatados.

As atividades em campo do Rally da Safra tiveram início no dia 15 de janeiro com a Equipe 1 no Mato Grosso. A Equipe 2 foi para as regiões Norte e Oeste do Paraná entre 22 e 24 de janeiro. Depois seguiu para o Mato Grosso do Sul cobrindo toda a região Sul até chegar a Campo Grande, finalizando a etapa no dia 27 de janeiro.

De 29 de janeiro a 3 de fevereiro, a Equipe 3 esteve na região do Sudoeste de Goiás e no Sudeste do Mato Grosso para fazer o levantamento das lavouras de ciclo precoce da soja. Já a Equipe 4 retornou ao Mato Grosso para avaliar a soja de ciclo médio e tardio na região do Médio-Norte do estado. A Equipe 5 foi ao Nordeste do Mato Grosso, finalizando o levantamento de soja no Estado.

Em seguida, a Equipe 6 percorreu Goiás e Minas Gerais entre os dias 5 e 9 de março. Técnicos da Equipe 7 estiveram nas regiões de Holambra, Itapetininga, Paranapanema, Capão Bonito e Itapeva, em São Paulo, e depois seguiram para o Centro e Sudoeste paranaense. A Equipe 9 finalizará essa etapa com foco nas avaliações de soja no Nordeste e Norte do Brasil, nas regiões do Oeste da Bahia, Sul do Piauí, Maranhão e Tocantins. Nesta edição, outras três equipes avaliarão o milho segunda safra entre os dias 14 de maio e 8 de junho no Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul e Paraná.

Fonte:  AGROLINK COM INF. DE ASSESSORIA

Imagem créditos: arquivo

Outras Notícias