Realidade virtual e gamificação chegam aos treinamentos do agronegócio. Conheça 5 métodos inovadores

Agricultura - 20 de novembro de 2020

Revolução digital no campo levou educação corporativa a se modernizar num dos poucos setores que ainda cresce no Brasil, apesar da crise provocada pela pandemia

Um simulador dotado de realidade virtual que reproduz com riqueza de detalhes a experiência de manusear equipamentos e realizar os procedimentos de manutenção em tratores. Basta um óculos de imersão e sensores nas mãos para o profissional se ver dentro de em uma oficina instalada em um galpão, onde realiza o treinamento com maior segurança e sem a necessidade de parar um trator por até um dia inteiro para ser usado nas aulas. Soluções educacionais como esta já são realidade no agronegócio brasileiro, que na contramão da crise provocada pela pandemia de coronavírus segue em crescimento e ainda obteve recordes de produção, exportação e geração de empregos em 2020.

“Tendo em vista também que o trabalho no campo já está bastante envolto no uso de drones, aplicativos e outros dispositivos tecnológicos, fomentar a educação corporativa por meio de soluções digitais se tornou primordial para manter esses profissionais comprometidos na evolução dos negócios”, afirma Luana Moura, analista de Inteligência de Mercado da empresa de educação digital DOT digital group.

Profissionais do agronegócio geralmente têm uma carreira duradoura. No caso dos  agricultores, chega a ser vitalícia. Diante disso, a necessidade de aprendizado é contínua, para que se adaptem  às constantes mudanças do setor, ressalta Simone Carminatti, Consultora Educacional do DOT digital group. “Para eles, a educação corporativa ajuda no aprendizado sobre novos produtos, processos e amplia horizontes acerca de metodologias facilitadoras de vendas, somando vantagens para as empresas”, explica Simone. As duas especialistas, juntamente com a Design de Experiências de Aprendizagem do  DOT,  Fernanda Gaona, vão abordar o tema Educação como Protagonista na Transformação Digital no Campo em uma live gratuita que ocorrerá no próximo dia 26, quinta-feira, no canal da empresa no Youtube. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por meio deste link.

A seguir, conheça cinco possibilidades de inovação que podem ser aplicadas na educação corporativa no agronegócio.

Produção de Cursos Online

Inúmeras facilidades podem ser criadas por meio dessa abordagem, com desenvolvimento e transposição de conteúdos para o formato digital e a implementação de metodologias e recursos fundamentados de acordo com características de cada público. Trilhas de aprendizagem, podcasts, vídeos, e-books, infográficos, one page learning, pílulas de conteúdos são algumas dessas estratégias educacionais.

Aprendizagem imersiva

A aprendizagem imersiva reúne experiências para que os colaboradores, por meio do uso de tecnologias, ferramentas e técnicas, possam desfrutar de diferentes estilos de aprendizagem e se desenvolverem com estímulos de engajamento, atenção e cenários muito próximos da realidade. Para isso são utilizados artifícios de jogos educacionais, gamification, simuladores de realidade virtual e aumentada.

Gamificação e games educacionais

Essas técnicas viabilizam o aumento da atração, engajamento, retenção e aprendizagem dos colaboradores, promovendo inclusive um ambiente de interação entre os colaboradores. As ações podem envolver ranking de tarefas, desafios em etapas e até jogos desenvolvidos especificamente para os objetivos educacionais.

Aprendizagem por dispositivos móveis

A aprendizagem por dispositivos móveis, como smartphones e tablets dá ao aluno maior autonomia para escolher os horários e locais onde deseja realizar treinamentos e favorece o engajamento e o aprendizado, já que esses aparelhos já fazem parte do seu dia a dia.

Comunicação Educacional

É importante que a empresa tenha estratégias de comunicação digital que, junto com as ferramentas que serão disponibilizadas para a aprendizagem, engajem o colaborador a realizar os cursos e treinamentos. Estas estratégias devem ser planejadas avaliando o perfil dos colaboradores e suas preferências, além de incluir métricas de acompanhamento para avaliar resultados e direcionar os próximos passos para que a aprendizagem se torne contínua.

Fonte: Daiane Costa


Outras Notícias