Safra de tabaco tem um leve recuo, mas continua gigante

Agricultura - 22 de novembro de 2019

A colheita de tabaco, que está a pleno vapor nas regiões baixas, mas ainda no início, tende a ser um pouco menor do que na temporada anterior. A Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) divulgou nessa quinta-feira, 21, estimativa para a safra 2019/20, prevendo recuo de 2,3% na área e de 2,6% em volume na região Sul, que responde por cerca de 97% da produção nacional.

“Com isso, a estimativa de área plantada nos três estados do Sul do Brasil é de 290.397 hectares, e a produção de 646.991 toneladas”, enfatiza o presidente da Afubra, Benício Albano Werner. Na safra anterior haviam sido registrados 297.310 hectares e 664.991 toneladas. A produtividade permanece estável, com leve recuo de 0,3%, decorrente da interferência climática em áreas específicas.

No Rio Grande do Sul, o volume recua 51.073 toneladas, com a área tendo passado de 145.176 para 126.875 hectares. Santa Catarina igualmente terá queda: a área cai de 93.394 para 88.984 hectares, e o volume, 34.570 toneladas. Só no Paraná a previsão vai em sentido oposto, de incremento, tanto na produção (mais 42.385 toneladas) quanto na área (de 58.740 para 74.538 hectares).

Sobre a qualidade das folhas, Werner lembra que a previsão é de chuvas mais regulares em quase todas as regiões para o fim de novembro, dezembro e janeiro, o que beneficiaria a lavoura.

A colheita estaria em cerca de 14% no todo dos três estados produtores do Sul do Brasil. No Vale do Rio Pardo o índice já seria de 32%. O mais adiantado é o Litoral catarinense, onde a colheita chega a 60%. Regiões mais tardias de plantio e de colheita são o Sul do Rio Grande do Sul, o Planalto Norte catarinense e o Centro-Sul do Paraná.

Fonte: GAZETA DO SUL – SANTA CRUZ DO SUL


Outras Notícias