Segundo semestre demanda monitoramento periódico na lavoura de hortifrútis

Agricultura - 18 de outubro de 2019

O aumento das temperaturas na Região Nordeste, grande produtora das culturas de mamão, melão e melancia, intensifica a proliferação de pragas, fungos e bactérias na lavoura. O período de setembro a dezembro tende a causar danos consideráveis durante o ciclo produtivo das plantas e exige monitoramento constante do produtor. “O manejo fitossanitário preventivo, associado a nutrição de forma correta ameniza os efeitos de condições adversas e garante qualidade para a produção”, alerta o engenheiro agrônomo Aedyl Lauar, gerente de pesquisa da Satis.

A oscilação do clima ocorre durante o ciclo produtivo destas plantas, causando deformações durante o processo de formação do fruto devido a mutações fisiológicas no desenvolvimento floral. Complicações relacionadas a pragas e doenças também são recorrentes e podem ser amenizadas com o manejo adequado já na entressafra, impedindo os danos já no início do cultivo das culturas de mamão, melão e melancia. Para Aedyl Lauar, o ideal é que o produtor monitore a lavoura periodicamente para amenizar os efeitos de condições adversas.

A Satis, através de seu Departamento Técnico, visita propriedades de clientes para assessorar no manejo nutricional, fisiológico e fitossanitário. A empresa mineira ainda disponibiliza palestras, congressos e informativos técnicos em paralelo com o desenvolvimento de itens específicos para nutrição.

Os produtos surgem da necessidade do agricultor e melhoram a resistência das plantas proporcionando resultados positivos. Dentro disso, a Satis disponibiliza soluções como a Fulland e a Vitakelp. Ambos os produtos estimulam a planta a desenvolver maior tolerância a doenças e a ampliar o desenvolvimento foliar.

Quanto a aplicação destas duas soluções, Aedyl Lauar explica que pode ocorrer tanto separadamente quanto em conjunto, dependendo da situação. “O Vitakelp fortalece a planta para enfrentar situações de stress, reduzindo danos causados por condições adversas, melhorando o pegamento de flores e frutos. Já o Fulland é direcionado ao manejo fitossanitário da planta. No entanto, a aplicação pode coincidir, por exemplo, no período próximo ao florescimento das culturas (pré-florescimento): enquanto um ajuda a fortalecer o metabolismo de defesa (Fulland), o outro faz o suporte para condições extremas (Vitakelp). São cuidados essenciais que podem determinar o sucesso da safra”.

Fonte: Moglia Comunicação Empresarial Por Vitoria Piuco


Outras Notícias