NFL jerseys and apparel wholesale
Senar-GO: Agropecuária tem maior geração de empregos e Goiás se destaca - Sucesso no CampoSucesso no Campo

Senar-GO: Agropecuária tem maior geração de empregos e Goiás se destaca

Categoria Geral - 23 de fevereiro de 2021

A agropecuária brasileira abriu 61.637 vagas de emprego no ano passado, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pela Secretaria do Trabalho. Esse é o melhor resultado desde 2011, quando a expansão no mercado de trabalho do setor foi de 85.585 vagas.

Entre as atividades que mais criaram postos com carteira assinada em 2020, a soja liderou o ranking, com 13.396 vagas. Destaque também para o café (6.284 novos postos). Na pecuária, a criação de bovinos (+11.598) e de aves (+5.993) foram as atividades que mais contribuíram para o mercado de trabalho.

Goiás é o segundo estado no País que mais criou empregos formais na agropecuária em 2020

De janeiro a dezembro, foram 2.932 novas vagas de trabalho dentro da porteira. Se considerados também os números da fabricação de alimentos, outros 3.545 novos empregos foram criados durante o período.

Em 2020, Goiás foi o segundo estado no País que mais criou postos de trabalho no setor agropecuário e o quinto no ranking geral da abertura de novas vagas, segundo dados atualizados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). De janeiro a dezembro, o Estado registrou a abertura de 2.932 novos postos de trabalho no setor agropecuário – atrás apenas do estado de São Paulo – e 26.528 novas vagas, considerando todos os setores econômicos.

Os grandes destaques na criação de novos postos de trabalho no agro ficaram concentrados nas atividades de apoio à agricultura e pecuária (1.009 novos postos), incluindo atividades pós-colheita (489 novos postos) e serviços de preparação de terreno, cultivo e colheita (353 novos postos). Também foram destaque as vagas criadas na produção de lavouras temporárias: 943 vagas, incluindo 301 no cultivo de soja; 222 no cultivo de cana-de-açúcar; e 151 no cultivo de milho. Já na atividade pecuária, foram 480 novos postos de trabalho, sobretudo na criação de bovinos (210 novas vagas), aves (191 novas vagas) e suínos (76 novas vagas).

Ranking estadual

De acordo com os dados do Caged, os municípios goianos que mais criaram vagas de emprego no setor agropecuário foram Cristalina (600 novas vagas), Santa Helena de Goiás (183); Jataí (153), Leopoldo de Bulhões (122) e São Simão (121).

Levando-se em consideração o estoque de vagas (número total de empregados), o município que mais tem trabalhadores ligados ao setor agropecuário é Rio Verde, com 7.077 trabalhadores empregados formalmente no setor, seguido de Cristalina (5.768), Jataí (3.192), Goiânia (2.617) e Mineiros (2.011).

Agropecuária resiliente em meio à crise

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) analisou os dados do Caged e ressalta que os bons resultados revelam o dinamismo do setor em 2020. “Apesar da alta dos custos de produção, tem demonstrado resiliência frente à crise”, afirma a entidade.

Em termos macro, o setor como um todo apresentou desempenho destacado em 2020: recorde de US$ 100,8 bilhões em exportações de produtos do agronegócio, crescimento de 18,2% no valor bruto da produção, segundo a CNA, e alta de 16,8% do PIB do agronegócio nos 10 primeiros meses do ano, segundo CNA e Cepea.

Fonte: Caged/Seapa com adaptações do Sistema Faeg/Senar/Ifag


Outras Notícias