Soja despenca nos EUA sem compras da China

Agricultura - 11 de janeiro de 2019

Mercado já está saturado do excesso de falas e a escassez de ações

O preço da soja na Bolsa de Cereais de Chicago registrou na quinta-feira (10.01) baixa de 17,25 pontos no contrato de Março/19, fechando em US$ 9,0675 por bushel. Os demais vencimentos em destaque da commodity na CBOT também fecharam a sessão com desvalorizações entre 16,00 e 17,25 pontos.

O mercado norte-americano da soja teve um dia de fortes perdas nos principais contratos futuros, pressionado pela falta de ordens concretas de compra da China para produtos americanos, especialmente soja. “Apesar de as duas delegações, tanto da China quanto dos EUA terem saído otimistas das reuniões desta semana, o mercado ficou primeiro atento e depois decepcionado. Com isto, teoricamente, os estoques americanos continuam altos, acima do normal para a época e os subprodutos, óleo e farelo, mais baratos, levando todo o complexo a fechar em queda”, explica Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica.

De acordo com a Consultoria AgResource, apesar de um começo de manhã sob calmaria, gestores de fundos adicionaram vendas agressivas na soja e milho aqui em Chicago, com a falta de novidades sólidas no pós-encontro EUA-China: “Mesmo com os discursos de Trump afirmando o bom relacionamento e progresso comercial com os chineses, o Mercado já está saturado do excesso de falas e a escassez de ações”.

“Sem dados técnicos desta suposta reconciliação política entre as duas maiores economias do globo, a especulação não terá suporte expressivo em novas altas dos preços. No Brasil, as agências de estimativa da safra publicaram os seus novos relatórios com alterações sucintas. A CONAB reduziu em 1% as projeções da soja 2019 para 118,8 MT; e aumentou em 0,3% o milho de primeira safra para 27,45 MT”, concluem os analistas.

Fonte: Agrolink Por Leonardo Gottems

Outras Notícias