Soja: Preços nos portos do Brasil testam novos ganhos nesta 5ª feira; Chicago ameniza altas

Categoria Geral - 14 de julho de 2016

Os preços da soja nos portos do Brasil, neste início de tarde de quinta-feira (14), registravam mais algumas altas frente aos ganhos que são observados em Chicago pela terceira sessão consecutiva. O que limita o avanço da recuperação, no entanto, é o dólar, que hoje cede mais de 1% e trabalha para manter-se acima dos R$ 3,20.

A oleaginosa disponível tinha R$ 92,50 por saca no terminal de Paranaguá e R$ 91,00 no de Rio Grande, com ganhos respectivos de 0,54% e 1,90% em relação ao fechamento do dia anterior. Já no mercado futuro, R$ 87,50 por saca em ambos os portos, subindo 1,74% e 0,57%.

Apesar de preços melhores, os negócios seguem pontuais e os vendedores ainda não se sentem confortáveis para voltarem ao mercado diante dos atuais patamares. A comercialização, porém, se mostra um pouco mais ativa nos negócios com a safra velha do que com a nova, com o movimento refletindo essa queda de braço entre as altas em Chicago e o recuo do câmbio.

Mercado Internacional

No mercado futuro norte-americano, os futuros da soja sobem pela terceira sessão consecutiva, porém, as variações, por volta de 12h (horário de Brasília), eram mais tímidas do que as registradas pela manhã, as quais superavam 12 pontos. Neste início da tarde, o vencimento novembro/16, referência para a nova safra dos EUA, era cotado a US$ 11,16 por bushel, mas na máxima do dia já alcançou os US$ 11,23.

As cotações vieram amenizando os ganhos, porém, ainda focados nas condições de clima dos Estados Unidos. No entanto, em seus radares ainda estão, nesta quinta-feira, o andamento do mercado financeiro global – principalmente com decisões sendo tomadas no Reino Unido hoje – além dos números das vendas semanais norte-americanas para exportação, as quais ficaram dentro do esperado.

Os novos mapas climáticos trazidos pelo NOAA – o departamento oficial de clima dos Estados Unidos – indicam que, nos próximos 8 a 14 dias, as chuvas deverão continuar abaixo da média para o período, e as temperaturas, acima. Até o último domingo (9), 71% das lavouras dos EUA se mostravam em boas ou excelentes condições. Novos números serão divulgados na segunda-feira (18) pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos.

Previsão de Temperaturas nos EUA de 21 a 27 de julho - Fonte: NOAA

Previsão de Temperaturas nos EUA de 21 a 27 de julho – Fonte: NOAA

Previsão de Chuvas nos EUA de 21 a 27 de julho - Fonte: NOAA

Previsão de Chuvas nos EUA de 21 a 27 de julho – Fonte: NOAA

USDA – Vendas semanais 

As vendas de soja para exportação dos Estados Unidos na semana encerrada em 7 de julho somaram 911,2 mil toneladas e o número ficou dentro das expectativas do mercado, que variavam de 900 mil a 1,3 milhão de toneladas. Foram 364,2 mil toneladas da safra 2015/16 – 43% a menos do na semana anterior e a maior parte destinada à China – e mais 547 mil toneladas da 2016/17, sendo também a nação asiática o principal destino. As vendas do presente ano comercial já estão 2% à frente do registrado na temporada anterior.

Os EUA venderam ainda 187,1 mil toneladas de farelo de soja, com 136,1 mil da safra velha e mais 51 mil da nova. As projeções dos traders para o derivado eram de 50 mil e 300 mil toneladas. Os maiores compradores do produto norte-americano foram o México e Honduras. Ainda entre os derivados, as vendas de óleo de soja também vieram em linha com as expectativas – de 15 mil a 60 mil toneladas – e somaram 54,7 mil toneladas. Da temporada atual foram vendidas 48,7 mil toneladas e da nova, 6 mil. Nesse caso, os maiores compradores foram China e México.

Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Outras Notícias