Os desafios da logística no agronegócio brasileiro e como superá-los

Apples container ready for shipping.

O agronegócio é o principal segmento econômico que impulsiona o Brasil. Não à toa, o país foca em pesquisa e inovação no setor, sempre procurando soluções inteligentes e ágeis para otimizar processos e entregar produtos com ainda mais qualidade. 

No entanto, para gerir um negócio voltado para o agro, é crucial ter uma boa logística. Isso porque ela é capaz de influenciar diretamente o sucesso da produção rural, já que vai desde o planejamento até o armazenamento dos produtos finais. Desse modo, a logística garante que tudo chegue aos seus destinos com qualidade e eficiência.

Entretanto, no meio dos processos logísticos existem alguns obstáculos que impedem que o setor opere com eficiência total. Nesse sentido, é preciso criar estratégias que possam melhorar a logística que envolve o agronegócio.

Infraestrutura deficiente e impactos econômicos

No que diz respeito ao agronegócio no Brasil, um dos principais gargalos logísticos é a infraestrutura para o transporte, tanto dos insumos quanto dos produtos. As estradas mal conservadas, deficiências nos modais ferroviário e fluvial, e o alto custo dos automóveis particulares dificultam muito o escoamento rápido e seguro da produção agrícola.

Conforme o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), somente 12% das rodovias brasileiras estão asfaltadas. Com estradas de terra, os veículos estão mais passíveis de sofrerem acidentes, além do desgaste extra em pneus, maior esforço de motor e outras partes dos carros. Isso acaba impactando na entrega tanto dos insumos quanto dos produtos finais, além de impactar os custos totais da cadeia produtiva.

Além disso, de acordo com dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV), os custos logísticos representam 20% do valor final dos produtos agrícolas no Brasil – trata-se de um dos custos mais altos do mundo. Isso impacta na posição do Brasil em relação global, pois compromete a rentabilidade dos produtores e no bolso do consumidor final.

Soluções tecnológicas e eficiência logística

Para solucionar o problema do transporte e do escoamento dos produtos, é crucial contar com a tecnologia para auxiliar durante todos os processos agrícolas. Os sistemas avançados de geolocalização, big data e Inteligência Artificial permitem que os produtores consigam monitorar a carga em tempo real, com informações sobre condições do tráfego e rotas alternativas.

Nesse sentindo, a utilização de softwares de roteirização podem ajudar em uma gestão de frota mais eficiente. Isso porque esses sistemas consideram variáveis como condições das estradas, sazonalidade e demanda para otimizar as rotas de transporte. Dessa forma, é possível reduzir custos e tempo de entrega, por exemplo. 

Outra estratégia é implementar sistemas integrados de gestão empresarial (ERP) que possam gerenciar desde o plantio até a distribuição. Além disso, investir em armazéns modernos e estrategicamente localizados é fundamental para minimizar custos de transporte e garantir a qualidade dos produtos. 

Ao implementar essas estratégias, é preciso um investimento inicial significativo. Entretanto, ele pode resultar em economizar de custo a longo prazo, além de uma cadeira de suprimentos mais eficiente e sustentável para o agronegócio brasileiro.

Fonte: Gabriela Araujo