Preços da soja seguem pressionados em Chicago

A melhora no clima dos Estados Unidos, somado com as vendas fracas da soja, acabaram pressionando as cotações da oleaginosa na Bolsa de Chicago nesta quinta-feira (27.06). De acordo com o especialista Luiz Fernando Pacheco, analista Luiz Fernando Pacheco, especialista da T&F Consultoria Agroeconômica.

“Os futuros de soja fecharam a sessão desta quinta-feira em nova queda de 6,5 cent/bushel, acentuando a queda do dia anterior. O contrato de julho fechou a 887,75, com a cotação mais alta atingindo 898,25 e a mais baixa 883,25. Os contratos futuros de farelo de soja também fecharam em queda de 1,2/tonelada curta, com julho a $ 312,2. O óleo de soja, por sua vez, fechou inalterado com junho a $ 27,81”, informa ele.

No entanto, a ARC Mercosul indicou que os operadores da Bolsa estão aguardando o novo relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), além de uma liquidação de posições futuras. “Amanhã novos números da área plantadanos Estados Unidos serão divulgados, e a expectativa é de novas quedas para área de milho. O clima mais favorável nas principais regiões produtoras americanas vem pressionando as cotações negativamente”, completa a consultoria.

“Amanhã começa o encontro do G-20, e a reunião entre Trump e Xi Jinping está confirmada. Mesmo com um acordo ainda improvável no curto prazo, cresce a expectativa de que as conversas venham a ser retomadas. Um outro fator baixista neste momento para a CBOT é afraca demanda pelos grãos americanos, confirmada novamente no relatório de exportações semanais divulgado hoje pelo USDA”, completa.

Fonte: Agrolink Por Leonardo Gottems