Tecnologias para cadeias produtivas integram programação técnica da Expoacre

Este ano, a principal Feira agropecuária do estado do Acre (Expoacre), realizada entre 01 e 05 de agosto reunirá informação e soluções tecnológicas para o desenvolvimento das cadeias produtivas do café e banana e para ampliar o uso da integração Lavoura-Pecuária, abordadas em diferentes eventos técnicos. A Embrapa Acre participa da programação por meio de palestras, capacitação e dia de campo.  A solenidade de abertura do evento acontece nesta quinta-feira, às 9 horas, com a presença de diversas autoridades.

No Campus do Agronegócio o público poderá conhecer Unidades Demonstrativas de culturas prioritárias para o estado (café, arroz, milho, banana, soja, girassol e eucalipto), implantadas por diferentes instituições. Os visitantes também poderão conferir alternativas tecnológicas recomendadas pela pesquisa, para reforma de pastagens acreanas, como as variedades de capim BRS Quênia e BRS Zuri, desenvolvidas pela Embrapa. O local integra um conjunto de instituições de pesquisa e fomento à produção e funciona como vitrine tecnológica para a realização da programação técnica da Feira, dirigida a agricultores, extensionistas, estudantes e profissionais das áreas agropecuária e florestal. As atividades acontecem diariamente, a partir das 8h.

No sábado, dia 4 de agosto, a Embrapa Acre realiza dia de campo sobre integração Lavoura-Pecuária, com foco no cultivo de milho e reforma de pastagens. De acordo com o analista Bruno Pena, Chefe-adjunto de Transferência de Tecnologias, a escolha dos temas dos eventos deu-se em função das demandas crescentes por conhecimento técnico. A atividade inicia às 8 da manhã.

“A degradação de pastagens é o principal problema da atividade pecuária na região. Associar lavoura e criação de gado em uma mesma área tem sido uma alternativa eficiente para minimizar o problema, com menores investimentos. No Acre, muitos produtores têm associado o cultivo de milho e plantio de forrageiras como alternativa tecnológica para recuperar a produtividade da pastagem. A venda da safra permite pagar os custos operacionais da reforma das áreas degradadas”, diz o gestor.

Ciclo de palestras

A Embrapa também participa da programação da Feira com palestras ministradas por pesquisadores de diversas áreas. Na quinta-feira (2), serão abordados os temas “Produção de café clonal no Acre” (das 9h às 10h) e “Diagnóstico da colheita e pós-colheita do café em Acrelândia” (das 10h15 às 11h).  Na sábado (4), as explanações tratam sobre “Sistema de produção e principais doenças da bananeira”, “Manejo do bananal” e “Colheita e pós-colheita da banana”, com início a partir das 9h30.

“Nesta edição, priorizamos cadeias produtivas em franca expansão no Estado, com a finalidade de proporcionar conhecimentos sobre diferentes aspectos da produção, orientando sobre procedimentos importantes para o aumento da produtividade e obtenção de um produto final de qualidade”, explica Michelam Lima, técnica as Secretaria de Agricultura e Pecuária (Sepa), responsável pela organização do ciclo de palestras.

Curso Derivados do Leite

O Núcleo Móvel de Transferência de Tecnologias da Embrapa (Nutec Móvel), carreta adaptada com cozinha para realização de capacitações, também está presente na Expoacre 2018, instalado no espaço da Fazendinha. No espaço acontece o curso “Fabricação de derivados do leite”, realizado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/AC) e Governo do Estado, com duração de 40 horas. A atividade conta com a participação de produtores rurais extensionistas dos municípios de Plácido de Castro, Bujari, Rio Branco e Acrelândia, importantes polos de produção leiteira do Estado, e se estende até domingo (5). A produção dos alunos inclui diferentes tipos de queijo (minas frescal, coalho, muçarela e temperado), além de iogurte, manteiga e doces.

Segundo Francisco Dantas, técnico da Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) e coordenador da capacitação, o objetivo é proporcionar conhecimentos sobre Boas Práticas na Fabricação, para elevar a qualidade desses produtos, agregar valor à produção e garantir mais renda no campo. “Ao mesmo tempo em que proporcionamos qualificação para as famílias rurais que trabalham com processamento de leite, estamos capacitando profissionais da extensão rural, que vão atuar na multiplicação desses conhecimentos junto a outros produtores”, afirma.

Sessão de degustação

Durante a 45º Expoacre, o público também poderá experimentar uma variedade de pratos doces e salgados, preparados com farinha de mandioca, durante sessão de degustação, no dia 3 de agosto (sexta-feira). Realizada no estande do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/AC), como parte das ações para divulgação da Indicação Geográfica da farinha de Cruzeiro do Sul, a atividade conta com a parceria da Embrapa Acre.

Entre os pratos previstos no menu elaborado pelo Chef Jairi Cunha, estão o sushi de farinha de mandioca com pirarucu, cuscuz e bolo. De acordo com a analista da Embrapa Priscila Viudes, uma das organizadoras da atividade, o objetivo é mostrar as muitas possibilidades gastronômicas envolvendo a farinha de mandioca. “O consumo desse produto não se restringe à tradicional farofa, mas, ao contrário, inclui muitas delícias. Com criatividade, é possível elaborar uma diversidade de receitas saborosas simples e sofisticadas”, afirma.

Fonte: Embrapa Acre Por Diva Gonçalves