27 C
Jatai
Início Notícias Categoria Geral Trajetória de Michel Temer

Trajetória de Michel Temer

Michel Temer é o vice-presidente da República do Brasil eleito, em 2010, juntamente com a presidenta Dilma Rousseff. Reconhecido pela habilidade política, ocupou por três vezes a presidência da Câmara dos Deputados e preside, há 11 anos, o maior partido do país, o PMDB. Entre as principais atribuições da Vice-Presidência está a defesa do interesse nacional em foros, encontros e negociações internacionais.

Em sua atuação internacional, Michel Temer visitou países do Oriente Médio, das Américas, Europa, Ásia e África com a missão de divulgar a economia brasileira, apontando oportunidades de investimentos e parcerias cujos resultados serão o crescimento e o desenvolvimento mútuo das nações. Temer ainda preside dois fóruns de discussões internacionais com os governos da China e da Rússia: a Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Cooperação e Concertação (COSBAN) e a Comissão de Alto Nível de Cooperação Brasil-Rússia (CAN). Esses foros são encontros, onde problemas entre as nações são amplamente debatidos, soluções são propostas e parcerias são consolidadas. No caso da Rússia, importante negociação envolvendo o mercado de carne para o Brasil foi discutido pelo vice-presidente e pelo então primeiro-ministro Wladimir Putin ainda em maio de 2011, em Moscou (Rússia), e com o primeiro-ministro Dmitri Medvedev, em fevereiro  2013, em Brasília. E, na Cosban, Temer e o ex-vice-primeiro-ministro chinês, Wang Qishan, conversaram sobre o aprimoramento das questões comerciais, em fevereiro de 2012 , em Brasília, e com o vice-primeiro-ministro, Wang Yang, a ampliação das exportações braileiras para o país asiático, em novembro de 2011, em Cantão (China).

No âmbito interno, o vice-presidente também é o coordenador do Plano Estratégico de Fronteiras,  que visa combater as ações criminosas nos mais de 16 mil quilômetros de fronteiras brasileiras, com a Operação Ágata (do Ministério da Defesa) e Sentinela (do Ministério da Justiça).

Deputado por seis mandatos, em 2009, foi apontado pelo Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) como parlamentar mais influente do Congresso Nacional. E, por vários anos, esteve entre os mais influentes deputados do Brasil.

Formação

Michel Miguel Elias Temer Lulia nasceu em Tietê (SP), no dia 23 de setembro de 1940. Caçula de oito irmãos, Temer é católico. A família, sempre fiel aos preceitos cristãos, imigrou de Betabura, região de El Koura, no norte do Líbano, em 1925.

Assim que chegou ao Brasil, seu pai, Miguel Temer, comprou uma chácara em Tietê e instalou uma máquina de beneficiamento de arroz e café. Com o passar dos anos, a atividade de Miguel foi ganhando importância. O filho mais velho, Tamer, passou a ajudá-lo nos negócios da família. Michel e outros irmãos foram estudar na capital paulista.

Aos 16 anos, Michel Temer iniciou o clássico (atual ensino médio). Anos depois, entrou na tradicional e renomada Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), no Largo do São Francisco.

Formado em direito pela Universidade de São Paulo (1963), possui o título de Doutor em Direito pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo. Michel Temer é considerado um dos maiores constitucionalistas do país, autor dos livrosConstituição e PolíticaTerritórios Federais nas Constituições Brasileiras e Seus Direitos na Constituinte e Elementos do Direito Constitucional, esse último na 20ª edição, com 200 mil exemplares vendidos. Em 2012, recebeu o título DoutorHonoris Causa do Instituto de Direito Público (IDP) e da Universidade Fundação Instituto de Ensino para Osasco (UNIFIEO), por sua atuação no campo jurídico e político brasileiro.

Carreira pública

Iniciou a carreira política como oficial de gabinete de Ataliba Nogueira, secretário de Educação no governo do Estado de São Paulo. Em 1983, Michel Temer foi nomeado procurador-geral do Estado de São Paulo. No ano seguinte, assumiu a Secretária de Segurança Pública de São Paulo, cargo que voltou a ocupar no início dos anos 90.

No comando da Secretaria de Segurança Pública, Michel Temer adotou ideias modernas, mais tarde usadas como modelo em todo o país. Em 1985, criou os Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEGS). No mesmo ano, após receber uma comissão que denunciava o espancamento de mulheres e o descaso de autoridades diante dos crimes, Temer criou a primeira Delegacia da Mulher no Brasil. Ainda nesse período, instituiu a Delegacia de Proteção aos Direitos Autorais, importante instrumento de combate à pirataria, e a Delegacia de Apuração de Crimes Raciais.

Na primeira administração à frente da Secretaria de Segurança Pública, recebeu grande estímulo para disputar cargo eletivo. Confidenciou ao então governador Franco Montoro um grande sonho: participar da Assembléia Nacional Constituinte em 1986. Montoro incentivou-o a seguir em frente.

Elegeu-se deputado constituinte pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e participou ativamente da Assembléia Nacional Constituinte, quando se destacou pela posição moderada, sóbria e pelo grande conhecimento de direito constitucional.

Após a Constituinte, foi reeleito deputado federal e exerceu seis mandatos – todos pelo PMDB. Licenciou-se do cargo somente para reassumir a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo e, depois, a de Governo.

Michel Temer foi eleito três vezes para Presidência da Câmara dos Deputados (1997, 1999 e 2009). Na primeira gestão, inovou ao abrir a Casa para a sociedade ao criar importante sistema de comunicação, responsável por noticiar o trabalho dos parlamentares e os grandes debates travados no plenário e nas comissões.

Nesse período, a Câmara discutiu e votou vários projetos que alteraram a estrutura do Estado brasileiro, com mudanças de grande repercussão para a modernização das instituições nacionais.

Na condição de presidente da Câmara, assumiu a Presidência da República, interinamente por duas vezes: de 27 a 31 de janeiro de 1998 e em 15 de junho de 1999.

No terceiro mandato, como presidente da Câmara, impediu o trancamento da pauta por Medidas Provisórias editadas pelo Executivo. Temer ofereceu nova interpretação constitucional. Segundo ele, uma MP somente trava a votação de matérias que podem ser objeto de Medida Provisória.

Assim, a votação de Propostas de Emenda à Constituição, Resoluções e Projetos de Lei Complementar, entre outras matérias elencadas no §1º do art. 62, não poderiam ser barradas. Com essa decisão, amplamente acolhida no meio jurídico e no âmbito legislativo, a Câmara retomou as votações de matérias relevantes para a sociedade. Na obra Democracia e Cidadania, Michel Temer reúne pronunciamentos e artigos elaborados no desempenho do mandato parlamentar.

De 2001 ao final de 2010, presidiu o Diretório Nacional do PMDB. Em 2011, licenciou-se do posto ao assumir a Vice-Presidência da República.

Síntese

Nome Completo:

Michel Miguel Elias Temer Lulia

Data de Nascimento:

23/09/1940

Profissões:

Advogado e Professor

Filiação:

Miguel Elias Temer Lulia e March Barbar Lulia

Legislatura:

1987-1991, 1991-1995, 1995-1999, 1999-2003, 2003-2007 e 2007-2011.

E-mail:

[email protected]

Mandatos:

Deputado Federal (Constituinte), 1987-1991, SP, PMDB; Deputado Federal (Congresso Revisor), 1993-1995, SP, PMDB; Deputado Federal, 1995-1999, SP, PMDB; Presidente da República (Interino), 27/01/1998-31/01/1998; Presidente da República (Interino), 15/06/1999; Deputado Federal, 1999-2003, SP, PMDB. Dt. Posse: 01/02/1999; Deputado Federal, 2003-2007, SP, PMDB. Dt. Posse: 01/02/2003; Deputado Federal, 2007-2011, SP, PMDB. Dt. Posse: 01/02/2007; Vice-Presidente da República para o mandato 2011-2014. Posse: 01/01/2011.

Filiação Partidária:

PMDB – 1981

Atividades Partidárias:

Líder do PMDB, 3/2/1995-5/2/1997; Líder do Bloco PMDB/ PSD/ PSL/ PSC, 1996-1997; presidente nacional do PMDB, 9/2001-3/2004, 3/2004-3/2007, 3/2007-3/2009, 3/2009-3/2013 (licenciado em 2011).

Projetos Aprovados como Deputado:
  • De Combate ao Crime Organizado (Lei Nº 9034195)
  • De Criação dos Juizados Especiais (Lei Nº 9099/95)
  • Do Código de Defesa do Consumidor – ANC
  • Da Garantia do Direito de Voto dos Cabos e Soldados – ANC
  • Da Inviolabilidade dos Advogados no Exercício da Profissão – ANC