27 C
Jatai
InícioArtigosA evolução dos produtos e ingredientes plant based

A evolução dos produtos e ingredientes plant based

*Por Anderson Rodrigues

Se hoje os alimentos plant based ganham destaque nas prateleiras dos mercados e nos pratos dos brasileiros é por conta, principalmente, da evolução dos ingredientes usados na composição dos itens.

Mas o que esses ingredientes podem ter de tão especial? É fato que, de acordo com diversas pesquisas realizadas, o número de pessoas que buscam por alternativas vegetais em substituição aos alimentos de origem animal vem crescendo. E essa procura não necessariamente está associada apenas à redução do consumo de carne e leite ou ativismo, mas, também, ao uso de ingredientes naturais para uma alimentação mais saudável e ao sabor e textura desses produtos que tem evoluído.

As vitaminas, que em alguns casos costumam ser consumidas em forma de cápsulas na rotina de  algumas pessoas, são facilmente encontradas nos alimentos plant based, tornando-se uma fonte mais segura para o abastecimento dos nutrientes do nosso corpo. A vitamina B12, que, apesar de poder ser deficiente em dietas veganas – já que está mais concentrada em alimentos de origem animal -, é um exemplo. Estudos estimam que cerca de 40% da população geral, não só os veganos, pode sofrer com a deficiência dessa vitamina.

Além delas, cálcio, magnésio e outros minerais também são componentes importantes nesse processo. Hoje, a Vida Veg oferece por exemplo leites vegetais com biocálcio orgânico (feito à base de algas marinhas) com absorção pelos ossos de até 90%. Para se ter uma ideia da efetividade, o cálcio do leite de vaca e mineral tem uma absorção que varia de 23% a 49%, bem menor.

O leite de coco também é uma boa opção de troca na alimentação. Rica em gorduras boas e fonte de TCM, diferente de outros óleos e gorduras, elas são facilmente absorvidas pelo corpo para ser transformado em energia. Inclusive, ele garante também uma proporção lipídica que facilita a digestão prolongada da proteína, ou seja, permite uma digestão sem picos – o que mantém a glicemia regulada e direciona melhor a proteína para a musculatura, visto que os iogurtes a base de leite de vaca podem não absorver toda proteína por terem um pico de absorção e causarem inflamação no intestino.

Além das vitaminas e minerais, cada vez mais os produtos a base de plantas têm oferecido maior aporte proteico. As proteínas vegetais de ervilha e soja não transgênica, que são as mais utilizadas, são limpas e de alta qualidade, além de poderem ser combinadas entre si por terem aminoácidos complementares, já que são duas leguminosas diferentes.

Dessa forma, atualmente, mais do que desenvolver produtos, é preciso proporcionar ao consumidor alimentos enriquecidos para beneficiar a saúde. Consequentemente, o bem-estar, seja ele físico ou mental, torna-se a verdadeira prioridade para o seu cliente e, claro, para o seu negócio. Muito mais do que um estilo de vida saudável, os alimentos plant based oferecem sabor e textura, com itens cada vez mais saborosos e cremosos. Tudo isso aliado à escolha de bons ingredientes.

*Anderson Rodrigues é sócio-fundador da Vida Veg, empresa “food tech plant based” que acredita na alimentação como forma de cuidar da vida e contribuir para um mundo melhor

Fonte:  Inguz Assessoria

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Últimas Publicações

ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS