20.1 C
Jatai
InícioHistória

História

Onde houver uma história de SUCESSO NO CAMPO esteja certo que ali também houve uma atitude corajosa!!!

...Uma Trajetória de sucesso não se constrói da noite para o dia...

    O ano é 1989, Fabélia Oliveira... uma jovem ingressa, aos 16 anos, na comunicação e desde então imprime a sua trajetória profissional com muita garra, luta e grandes desafios, pois o cenário político/financeiro não era nada promissor.

     Inicialmente no rádio, em Colorado do Oeste em Rondônia, Fabélia foi criando seu diferencial na voz naturalmente empostada, no carisma e na firmeza que conduzia seus trabalhos.

     Ali, como normalmente ocorre nos trabalhos iniciais, não logrou êxito, porém isso não lhe desanimou, mas deu a paixão pela atividade.

     Em 1990 a família toda (então ela acompanhava os pais) se muda para Goiás, terra natal, onde também surgiram novas oportunidades para aquela vocação: COMUNICADORA!

     Trabalhou na rádio Kativa (fazia isso nos finais de semana, pois durante a semana tinha um trabalho como auxiliar de contabilidade). A rotina era de escritório durante o dia, estudos à noite, e aos finais de semana na rádio, além do uso da hora de almoço para gravações comerciais. Claro que não tinha carro e nenhum outro meio de locomoção, isso era coisa só de rico!

     O destaque na rádio rendeu convite para a televisão. Já no final de 1992 foi trabalhar na TV Jataí. Fez sua marca e criou relacionamentos sociais e políticos nunca esquecidos. Atenta às informações, texto, língua portuguesa, assistindo trabalhos de grandes nomes profissionais foi se adequando.

     Em 1994 se mudou para Rio Verde para trabalhar na rádio 96 FM. Sua voz marcou o rádio rioverdense de modo que até hoje, mesmo depois de anos de sua ausência naquela cidade, ainda é reconhecida pela fala.

     Em 2005 retorna para Jataí para trabalhar na rádio Abelha, com programa de jornalismo. Com menos de um mês do retorno à Cidade Abelha, já recebeu o convite para reintegrar a equipe da TV Jataí, em nova temporada, nova direção.

     Logo, a televisão consumia o tempo que ficou difícil permanecer nos dois e a opção foi o telejornal onde fazia de tudo, desde a produção à apresentação. Reportava os assuntos mais diversos, desde o esporte à política, passando pela área policial ou social. Foi se tornando referência na comunicação e nunca ficou a esperar por nada, buscava.

     Foi nessa época que conheceu o Lavosier Lima, um homem com trajetória profissional de estabilidade numa área que era completamente diferente: vendedor/gerente numa loja de autopeças.

     Ele, natural do Rio Grande do Norte, tinha morado no Rio de Janeiro por cinco anos e estava há sete em Goiás.

     No estado do Rio ele atuou em lojas de autopeças da linha leve, em Goiás era na linha pesada. Quando os dois se conheceram suas atividades profissionais não foram alteradas, mas logo a garra e determinação do casal foi concentrada em uma terceira atividade: um programa do agronegócio.

     Lima tinha um relacionamento intenso com produtores rurais em função do seu trabalho, assim como Fabélia.

     Ela percebeu que em um município que o agronegócio impera, a comunicação não era dedicada a esse setor, então nascia ali o desejo de fomentar um programa direcionado. No marido ela encontrou apoio. Em 05/05/2008 os dois começaram com o Jataí Rural, na TV Jataí, com 10 minutos, por duas vezes na semana.

     A jornada era dupla, pois nenhum dos dois deixou suas atividades convencionais e se desdobravam para conseguir os resultados a que se propunham em busca da excelência de seus trabalhos. Foram muitas madrugadas, finais de semana, feriados, e tudo que fosse necessário para garantir o resultado almejado.

     Os equipamentos??? Bem, logo no início eram emprestados da televisão, então as dificuldades e superações diárias foram intensas para adquiri-los. Porém esse casal, sempre manteve o respeito mútuo, a admiração e o amor um pelo outro, assegurando a credibilidade que seus nomes traziam.

     Foi nesse terreno fértil, que as boas sementes germinaram e deram bons frutos. Sem sede, trabalhando em casa, gravando no estúdio da TV Jataí (que só era de alcance local), o programa começou a chamar a atenção para mais longe.

     Com 4 anos ele foi convidado a ir para a TV Sucesso, repetidora da Record. Ali ele deixava de ser local e se transformava em regional. Para isso o nome também foi alterado e ganhou roupagem nova com o SUCESSO NO CAMPO.

     A partir daí a trajetória não parou... Algumas matérias emplacaram em rede nacional em programas como o Domingo Espetacular, Jornal da Record e Direto da Redação. Na rede estadual era frequente. Então a Record News decide fazer uma parceria para o Record News Rural e a visibilidade nacional se torna comum.

     Com credibilidade alta, a TV ClimaTempo entra em contato para que o programa SUCESSO NO CAMPO entre em sua grade de programação, e assim surge uma nova parceria.

     A essa altura... lá do uso de equipamentos emprestados, todo o faturamento da empresa era concentrado em reverter nela própria a fim de ter sobrevida. Então, ainda em 2008 foram adquiridos os primeiros equipamentos (câmera, iluminação e tripé). Vale lembrar que o primeiro contrato comercial foi feito com 15 dias de atividade.

     Inicialmente o cinegrafista e editor eram pagos por serviços realizados. A partir da compra dos equipamentos, Lima passava todo o tempo vago se dedicando a estudar e entender como fazer, tanto as imagens como a edição.

     Ele buscava orientação com todos os profissionais com quais tinha contato. Então o trabalho foi aumentando. Em 2010 Fabélia Oliveira pediu demissão da televisão onde tinha jornada dupla (era contratada/celetista e era parceira no programa/PJ).

     Em seguida o mesmo ocorreu com Lima. Inicialmente ele pediu dispensa dos sábados, depois pediu demissão, mas como era um funcionário muito importante dentro da empresa, o patrão solicitou que ele continuasse por meio período. Assim ele fez ainda por alguns meses e depois viu que sua empresa precisava de sua dedicação exclusiva.

     No ato de sua saída, seu patrão apenas disse: “Irmãozinho eu sei que você não volta porque tudo o que você vai fazer você faz com capricho, eu sei que vai dar certo”!

     A essa altura o casal tinha conseguido fazer a aquisição da casa própria e foi nela que se instalou a estrutura física para o trabalho, incluindo estúdio. Tudo muito precário.

     Os investimentos em equipamentos continuavam. Já tinha a contratação de um funcionário fixo. Daqui a pouco passou para dois colaboradores. De repente precisava de mais um e não tinha espaço. Ali era mais um atrevimento. Então o ano de 2016 se encerrava com o projeto de mudança e o primeiro programa de 2017 chegou com cenário novo e um lugar mais espaçoso. Agora alugado.

     O programa crescia em credibilidade Brasil a fora. Em 2019 o presidente da República Jair Bolsonaro saiu para atender exclusivamente à Fabélia Oliveira (essa todo mundo já sabe).

     É preciso ter um ambiente mais adequado, mais especializado. Então o Lima começa a estudar, a procurar como poderia encontrar um jeito legal de resolver essa lacuna considerando que a empresa não dispunha de investimentos em sede própria, mas era necessária.

     Foi aí que ele encontrou na legislação municipal a lei que trata da doação de áreas públicas para empresas. Buscou todas as informações e começou a anexar documentos. A tarefa não foi fácil. Teve momentos em que ele quase desistiu, mas foi forte outra vez!

     Desde que protocolou o processo de solicitação de área, passou a empresa e seus sócios (no caso Lima e Fabélia) por todas as avaliações e garantias de que TUDO estava em ordem, houve avaliação da parte jurídica do município, criação de PL de doação, envio para a Câmara onde precisava de aprovação dos vereadores em duas sessões, retorno

     do processo ao departamento jurídico da Prefeitura, uma licitação com edital público para garantir transparência ao processo, vencer esse processo, fazer contrato de doação e finalmente escriturar... foram mais de dois anos. Mas valeu a pena!!

     Tinha agora o prazo máximo de três anos para construir ou poderia perder a área e o município retomar. O início da construção tinha que acontecer em no máximo 90 dias, o ano era 2020, a escritura foi assinada em abril, e o fechamento da Pandemia de Covid-19 tinha iniciado em março. Então chegava mais uma preocupação. Vai fechar tudo?? Vai prorrogar o prazo?? Ninguém sabia. Em 30 de junho começaram os trabalhos na área com a terraplanagem. Em 30/04/2021 (dez meses após o início) estava pronta, era quase meia noite quando a equipe entregou o estúdio montado.

     De uma sede singela e um ou dois empregos diretos, passou em 2021 para SEDE PRÓPRIA e hoje uma empresa bem mais robusta tanto em empregos diretos e tantos indiretos como também em faturamento que já cresceu pelo menos três vezes.

     Canais como Youtube somam mais de 130.000 seguidores, fiéis que prestigiam o conteúdo. A carteira de clientes é composta por empresas importantes, dentre elas como Uniggel Sementes, Comigo, Solubio, Senar/Faeg e tantas outras que reconhecem e prestigiam as conquistas que são uma grande escada com muitos degraus, escalados um a um, para somar força, trabalho, dedicação, superação e apresentar os resultados que se têm hoje.

     É realmente honroso olhar para trás e ver a trajetória, os esforços. Muitos programas foram criados inspirados neste trabalho, o que torna ainda mais responsável na busca incessante de aprimoramento.

     Por isso o convite a cada um para o exercício contínuo do aprendizado, da construção de um ambiente sadio de se trabalhar. Onde todos tenham a certeza de realizar seu propósito com empenho e responsabilidade que lhe foi confiado no ato da contratação, fazendo jus à bandeira que carrega com muito orgulho SEMPRE AO LADO DE QUEM PRODUZ!!!

     Amigos, clientes e colaboradores se sintam acolhidos, recebidos com a merecida satisfação de quem inspirou e continua a inspirar a cumprir diariamente propósito de estar SEMPRE AO LADO DE QUEM PRODUZ!!!

     Bem-vindos ao SUCESSO NO CAMPO

spot_img