Fundação Chapadão amplia rede de monitoramento da ferrugem asiática

Agricultura - 13 de janeiro de 2021

stação de monitoramento da ferrugem asiática instalada em lavoura comercial no Município de Paraíso das Águas

A Fundação Chapadão está ampliando a rede de monitoramento de ferrugem asiática. Segundo os engenheiros agrônomos, pesquisadores, Thiago Leonel e o Dr. Lucas Henrique Fantin, da Fundação Chapadão, o monitoramento visa detectar eventual ataque da ferrugem asiática na soja de forma mais precoce possível.

Folha infectada com a ferrugem asiática

O monitoramento é realizado com instalação de armadilhas capazes de captar esporos da ferrugem presentes no ar. O equipamento foi desenvolvido pelo Iapar, Instituto Agronômico do Paraná e adotado pela Fundação Chapadão. Inicialmente o sistema de monitoramento foi instalado nos campos de pesquisas da entidade e agora está sendo ampliado para as lavouras dos produtores de Chapadão do Sul e em outros municípios em que a entidade desenvolve suas pesquisas e experimentos.

Nas últimas semanas novas armadilhas coletoras de esporos foram instaladas em propriedades na região de Paraíso das Águas e Baús (Costa Rica), ampliando o monitoramento para o raio de 100 km da cidade de Chapadão.

Os pesquisadores alertam que o manejo da ferrugem recomendado, incluindo aplicações preventivas de fungicidas devem continuar.

Os engenheiros Agrônomos Thiago Leonel e Lucas Fantin explicam que a ferramenta potencializa o monitoramento e agrega no manejo da ferrugem da soja. “Nos próximos dias, novos coletores serão instalados, ampliando o raio de monitoramento para 150 km”, disse o pesquisador Dr. Lucas Henrique.

Fonte: JOVEMSULNEWS


Outras Notícias