SC: prejuízos com temporal passam de R$ 10 milhões

Agricultura - 9 de fevereiro de 2019

No feijão a perda é de 100% e, na soja, a estimativa é de 50%

Os prejuízos com o temporal de granizo que ocorreu no final da tarde da terça-feira (5) em Campo Erê devem passar de R$ 10 milhões. Os levantamentos de perdas ainda não foram concluídos, mas o coordenador da Defesa Civil do município, Nelson Tressoldi, estima o prejuízo milionário a partir da área atingida, de aproximadamente cinco mil hectares de soja e 150 a 200 hectares de feijão. Ainda na manhã desta quarta-feira havia gelo acumulado em alguns pontos.

No feijão a perda é de 100% e, na soja, a estimativa é de 50%. São entre 20 a 25 famílias que possuem áreas grandes e a maioria não tinha seguro, pois plantavam com recursos próprios. Esses produtores tiveram uma grande perda que vai refletir no movimento econômico do município. Foram atingidas as comunidades de Itatiba, Agroísa e Araçá, o que representa 20% da área do município — disse Tressoldi.

Somente um produtor, Valmor Giacomin, calcula o prejuízo em 1,2 milhão. A partir do levantamento que está sendo realizado por técnicos do município ou da Epagri é que a administração municipal vai decidir se decreta situação de emergência ou não.

De acordo com o coordenador regional da Defesa Civil, Rogério Golin, a chuva forte também causou estragos em Bom Jesus do Oeste, mas os dados ainda estão sendo levantados. Em Chapecó e Xaxim ocorreram alguns alagamentos na área urbana. No interior o problema maior foi com as estradas danificadas.

Apesar do prejuízo grande em Campo Erê a perda no cenário estadual é pontual e não afeta a previsão de uma boa safra, segundo o analista do Centro de Socieconomia e Planejamento Agrícola da Epagri, Haroldo Tavares Elias.

Tivemos um período de 15 dias de falta de chuva em dezembro, que prejudicou algumas lavouras de milho com perda de até 8% e lavouras precoces de soja em cerca de 10%. Mas isso foi compensado pelo bom desempenho em outras regiões. Não será uma safra cheia mas dá para considerar normal.

No milho a expectativa é de uma produção de 2,8 milhões de toneladas, o que representa um crescimento de 11% em relação à safra passada, de 2,5 milhões de toneladas. Isso devido ao aumento de área e produtividade. Na soja a previsão é de uma safra similar à do ano passado, que foi de 2,4 milhões de toneladas.

Fonte: Agrolink c/Inf. Assessoria


Outras Notícias