Plantas de laboratório podem combater as mudanças climática

Agricultura - 19 de julho de 2019

Pesquisadores do Instituto Salk, um complexo de laboratórios localizado na Califórnia, nos Estados Unidos, lançaram um projeto que busca cultivar plantas com um gene capaz de reduzir o CO2 na atmosfera. A chave para mitigar os efeitos das mudanças climáticas pode estar mais próxima do que todos pensamos, nas plantas geneticamente modificadas.

Nessa linha, os cientistas explicaram que as plantas têm um gene que determina se as raízes crescem rasas ou não no solo. E é justamente nesse ponto que eles concentraram seu trabalho, em dar luz a espécies com raízes mais robustas e profundas, que podem armazenar maiores quantidades de carbono no subsolo e por mais tempo.

“Estamos muito entusiasmados com esta primeira descoberta no caminho para alcançar os objetivos da Iniciativa de Colheita de Plantas”, diz Wolfgang Busch, principal autor do estudo e membro do Laboratório de Biologia Vegetal e Molecular na Salk. “Reduzir os níveis de CO2 na atmosfera é um dos grandes desafios do nosso tempo e, pessoalmente, é muito importante para mim trabalhar na busca de uma solução”, acrescenta o especialista, salientando a importância de estudos como esse para o desenvolvimento da agricultura e a preservação do meio ambiente.

A iniciativa avançará com 35 milhões de dólares, provenientes de mais de 10 indivíduos e organizações através do The Audacious Project, um projeto que financia esse tipo de proposta. Descobertas como essa, segundo os cientistas, vão contra as afirmações de que plantas geneticamente modificadas tem efeitos negativos ao meio ambiente.

Fonte: Agrolink Por Leonardo Gottems


Outras Notícias