Uso responsável de antimicrobianos – como se preparar para o futuro?

Categoria Geral - 15 de agosto de 2020

Em evento, Zoetis discutiu os sete princípios básicos do uso dessa classe de medicamentos

A Zoetis realizou um evento sobre o uso responsável dos antimicrobianos na produção de proteína animal. Para isso, convocou um time de especialistas que discutiu tendências globais, o papel da indústria e de profissionais nesse processo bem como os sete princípios básicos de utilização desses medicamentos.

“As tendências globais na pecuária giram em torno de três questões – saúde, sustentabilidade e sanidade. São pontos que envolvem bem-estar e saúde animal, uso da terra e da água, segurança alimentar e exigências do consumidor”, disse, na ocasião, Renata Fernandes, Gerente de Produto da Zoetis.

Em conformidade a esse movimento, a Zoetis tem como premissa de trabalho um ciclo completo de cuidados, que abrange predizer, prevenir, diagnosticar e tratar. “Seguimos e orientamos os produtores para que respeitem os princípios básicos da utilização de medicamentos, que são: contar com a ajuda de bons profissionais, prevenir, diagnosticar com precisão, diagnosticar corretamente, tratar adequadamente, acompanhar a evolução do tratamento e respeitar o período de carência”, pontuou Chester Batista, Gerente Técnico de Leite da Zoetis.

Chester lembrou que é imprescindível que haja um calendário sanitário ajustado na propriedade – “tanto para erradicar os problemas mais comuns como para evitá-los”, reforçou.

Na sequência, Elio Moro, Gerente Técnico da Zoetis, detalhou questões importantes a respeito dos pilares para o uso correto dos antibióticos. “Não podemos deixar de dizer que esses medicamentos são ferramentas importantes tanto para produção animal como para nós, humanos, mas o seu uso exige responsabilidade”, alertou.

O especialista listou ações e condutas que devem ser adotadas em qualquer propriedade: escolha do antibiótico correto, uso da dosagem correta para cada animal, verificação se o produto escolhido tem registro no MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), manutenção de uma farmácia organizada na fazenda, funcionários bem treinados, acompanhamento clínico por profissionais especializados de animais doentes e respeito ao período de carência dos medicamentos, determinado em bula. “O período de retirada do medicamento antes do abate, tanto para carne quanto para leite, é para que o pecuarista entregue ao consumidor um produto livre de resíduos. Isso é muito importante também para que não tenhamos casos de resistência de bactérias em tratamentos”, explicou.

Ocilon Sá Filho, Gerente Técnico da Zoetis e mediador do evento, finalizou lembrando que os princípios discutidos servem para qualquer classe de medicamento: “São ações simples, que não requerem grandes investimentos; questão de atitude e de responsabilidade”.

O bate-papo ficará disponível na plataforma da Vetsmart até 18/8, para ser visto ou revisto.

Fonte: Interfuse Communications


Outras Notícias