18.5 C
Jatai
InícioArtigosO privilégio de cultivar árvores

O privilégio de cultivar árvores

*Por Marcos Sacco

A celebração pelo Dia da Árvore, neste 21 de setembro, tem um simbolismo especial para o setor de base florestal brasileiro. Dentre as muitas possibilidades de abordagem deste tema, quero falar do privilégio que é trabalhar diretamente com árvores plantadas e nativas todos os dias, porque elas nos ensinam muito sobre equilíbrio e diversidade, inspiram pesquisas para aprimorar nossas atividades e nos despertam para um universo de possibilidades de negócios sustentáveis capazes de atender a bilhões de pessoas.

Muito além de suas funções ambientais, as árvores têm papel crucial na sociedade, tendo influenciado as ocupações humanas em diversas regiões, a linguagem, as artes, a indústria, a arquitetura, a culinária, a medicina… A lista de utilidades e curiosidades não tem fim, mas muitas espécies de árvores, sim, tiveram fim ou estão em vias de desaparecer. Devido à exploração descontrolada, bastantes delas foram extintas ou entraram em risco de extinção.

Para usufruir de modo perene dessa fantástica fonte de matéria-prima, é preciso lidar com ela com responsabilidade, conhecer as tantas – e já identificadas – especificidades das árvores e estar aberto a descobrir tantas outras quantas elas tenham a nos revelar. E este é um desafio aceito pelos pesquisadores e pela indústria do setor florestal. Felizmente, ao analisar historicamente a demanda mundial por madeira, nosso entendimento é o de que o futuro do planeta está nas árvores plantadas, contribuindo para que as matas nativas sejam poupadas e pesquisadas para o bem da vida no planeta.

Para ser uma fonte renovável não basta que ela seja simplesmente passível de ser plantada e colhida. Para ser renovável, ela precisa ser manejada de modo sustentável sem que isso implique, em qualquer tempo, no esgotamento do ecossistema. É com esta consciência que o setor florestal cultiva 9 milhões de hectares no Brasil, investe em pesquisa, tecnologia e inovação e se posiciona como uma atividade econômica altamente sustentável. O segmento fornece matéria-prima para mais de 5 mil produtos, gera 1,3 milhão de empregos e atrai novos negócios, promovendo o bem-estar social e a proteção do meio ambiente.

Com um olhar atento e sistemático sobre as árvores nativas e suas complexas relações com outras formas de vida ao seu redor, aprendemos e aplicamos este conhecimento nas operações florestais de modo que celebrem, o ano inteiro, as múltiplas potencialidades das árvores. Um exemplo disso é uma iniciativa da Bracell, uma das líderes mundiais do setor de celulose solúvel: o Compromisso Um-para-Um, por meio do qual nos comprometemos a alcançar, até 2025, um hectare de mata nativa conservada em nossas propriedades e em áreas públicas para cada hectare de eucalipto plantado pela empresa. Sim, porque, para nós, as árvores não são apenas um negócio, são uma paixão que, literalmente, cultivamos todos os dias.

*Marcos Sacco, gerente sênior Florestal da Bracell Bahia

Fonte: Juracy dos Anjos

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Últimas Publicações

ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS