Zarc do feijão

Zoneamento agrícola de feijão para primeira safra de 2021/2022 é divulgado

Publicação das portarias foi antecipada para maior tempo de planejamento da safra

Foram publicadas no Diário Oficial da União, as portarias que aprovaram o Programa Nacional de Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) da cultura do feijão para a primeira safra de 2021 a 2022, para 14 estados.

Neste ano, a publicação das portarias foi antecipada para permitir que produtores rurais e demais entidades que utilizam os indicativos do Zarc possam ter mais tempo para o planejamento da safra.

Os agricultores que seguem as recomendações do Zarc estão menos sujeitos aos riscos climáticos e poderão ser beneficiados pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e pelo Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR).

As informações oficiais e orientações do Zarc podem ser acessadas através do aplicativo Plantio Certo, disponível nas lojas de aplicativos iOS e Android, e também no site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Fonte: Brasil 61

Fundação MS realizará apresentação de resultados on-line da Safra 2020/2021

Os resultados abrangem grande parte dos sistemas produtivos de soja no Brasil

O evento será totalmente on-line, com objetivo de levar aos produtores rurais e técnicos de todo o Brasil, informações pertinentes e atualizadas visando melhorar o manejo para garantir a rentabilidade das suas lavouras.

O pesquisador do setor de Fitotecnia Milho e Sorgo da Fundação MS, André Lourenção, cita a importância de se inovar na divulgação de resultados: “Temos milhares de parcelas, testando os principais produtos e manejos utilizados na cultura da soja, em diversas unidades de pesquisa distribuídas no estado de Mato Grosso do Sul. Todo esse conhecimento precisa ser divulgado ao produtor rural, servindo de apoio às suas decisões. Desta forma, a Fundação MS cumpre seu papel dando suporte ao crescimento e rentabilidade do agronegócio brasileiro.”

As palestras acontecerão no dia 27 de maio de 2021 a partir das 08 horas da manhã, com encerramento as 17 horas (horário de Mato Grosso do Sul). As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas no site da Fundação MS. Acesse: https://www.fundacaoms.org.br/eventos/agenda

A programação contará com palestras apresentando os principais resultados da safra 2020/2021, nos campos experimentais da Fundação MS em ambientes de produção que englobam grande parte dos sistemas produtivos de soja no Brasil. Focada em novas tecnologias e estratégias, para que o produtor rural conheça com o que há de novo no mercado e inicie o planejamento da próxima safra.

O pesquisador Douglas Gitti do setor de Manejo e Fertilidade do Solo, dará início a programação técnica com os temas: Manutenção da acidez do solo: fontes alternativas ao calcário convencional; Fósforo e Potássio: modos de aplicação e curvas de resposta; Épocas, fontes e doses em aplicação foliar de Zinco, Manganês e Cobre; Coberturas vegetais, seus benefícios ao solo e incrementos na produtividade da soja; Diferentes espécies de capins e seus reflexos na soja.

Na sequência, o pesquisador de Fitotecnia Soja André Bezerra, apresentará os resultados da rede de avaliação de cultivas de soja, safra 20/21: maximizando o rendimento em cada ambiente de produção; Desempenho produtivo de cultivares de soja Xtend.

Ao final destes painéis, ainda pela manhã, ocorrerá um debate ao vivo, com os pesquisadores respondendo às perguntas do público e discutindo os principais pontos em cada apresentação.

O pesquisador Luciano Del Bem Júnior do setor de Herbologia e Entomologia, irá apresentar resultados de herbicidas pós-emergentes para controle de trapoeraba e seus impactos na cultura da soja; Manejo de percevejos: saiba quando e o que aplicar; Controle de Spodoptera spp. em soja Intacta: bases para o manejo e melhores produtos; Mosca-branca, um inimigo silencioso: identifique e controle essa praga; Alternativas para dessecação pré-colheita.

Fechando a programação técnica, a pesquisadora Ana Claudia Ruschel do setor de Fitopatologia e Nematologia apresentará os resultados de experimentos visando doenças de final de ciclo: conhecendo o manejo e os melhores produtos; Eficácia de 36 produtos no manejo de Mancha-Alvo; Cenário atual e controle de Ferrugem em Mato Grosso do Sul; Antracnose x Cancro/seca da haste e vagens: Faça a diagnose

Ao final da tarde, haverá um debate ao vivo, entre os pesquisadores, respondendo às perguntas do público.

Mais informações pelo telefone (67) 3454-2631 ou no e-mail comunicacao@fundacaoms.org.br

Fonte: Fundação MS